Juazeiro – Moradores do São Geraldo denunciam prefeitura

Vi no blog que a Sedur do município de Juazeiro fez um pequeno esclarecimento sobre a rua do Avelós e rua Samuel Ayres do bairro São Geraldo, e por isso, como moradora da rua Samuel Ayres me atrevi a vos escrever.

São Geraldo/Juazeiro
São Geraldo/Juazeiro

Há alguns meses a prefeitura de Juazeiro fez uma tentativa de calçar a rua ‘E’ e rua do Avelós no respectivo bairro, porém, nós os moradores da rua Samuel Ayres não aceitamos a obra que a prefeitura queria fazer, o intuito da prefeitura era calçar as ruas que davam acesso ao condomínio Morada das Árvores (rua ‘E’ e rua do Avelós) e não calçaria a rua Samuel Ayres que é uma rua colada à rua do Avelós, rua esta que há alguns meses também se chamava rua do Avelós e que teve o nome trocado para rua Samuel Ayres. Nós moradores da rua Samuel Ayres não aceitamos que a prefeitura calçasse só um pedaço da rua, pois era injusto a prefeitura calçar as ruas que dão acesso ao condomínio e desprezar o restante da rua.

Ademais, quando essas ruas fossem calçadas (E e Avelós) o escoamento de água seria jogado para nossa rua (Samuel Ayres) e nós seríamos prejudicados e foi o que de fato ocorreu com as chuvas recentes (anexo 3 e 4).

O secretário de obras de Juazeiro fez uma reunião com os moradores da rua Samuel Ayres e se comprometeu que calçaria as três ruas começando pela rua E, depois rua do Avelós e por final, a rua Samuel Ayres e que as obras não parariam, mas, não foi o que de fato aconteceu.

A prefeitura calçou a rua E e rua do Avelós (para beneficiar o condomínio visto que este vai começar uma nova venda de terrenos e casas), e alegou que só calçaria a rua Samuel Ayres quando houvesse uma nova licitação.

O secretário de obras enganou o povo e não cumpriu com sua palavra, logo mais a placa colocada pela prefeitura informando os gastos da obra não são compatíveis com a verdade (anexo 1) a placa diz que foram gastos 611.220,46 (Seiscentos mil duzentos e vinte reais e quarenta e seis centavos) foram gastos mais de meio milhão para calçar duas ruas?

Quer dizer que agora não tem mais dinheiro para calçar a rua Samuel Ayres? Precisam de mais verba? Nem se a prefeitura calçasse as ruas com porcelanato o valor não chegaria a tanto.

A placa também diz que os valores foram gastos em drenagens feitas a rua do Avelós e rua E e isso não é verdade, não foram feita drenagens nessas respectivas ruas, pois essas duas ruas já possuem drenagens feitas pela gestão anterior, houve uma pequena drenagem de cerca de 50m no final da rua Samuel Ayres para beneficiar o condomínio, pois o condomínio precisaria dessa drenagem para as novas casas que serão feitas e loteadas, um drenagem mal feita, pois o piso cedeu com as chuvas e alguns moradores não puderam sair com os carros da garagem e que inclusive o carro da vereadora Neguinha atolou (anexo 5, 6, 7 e 8). Essa drenagem deveria ser paga pelo condomínio e não com verba pública, pois é para benefício deste.

Procuramos o secretário de obras do município pelo telefone e em seu escritório, mas ele não nos atende, não dá satisfação ao povo como deveria. Cansamos de procurá-lo e entramos com uma denúncia no Ministério Público por desvio de verba.

Pedimos que o ministério público intervenha em nosso favor e investigue o valor dessa obra que é fácil de perceber o super-faturamento. Também fizemos orçamentos com uma empresa para sabermos quanto gastaria para calçar uma rua de 100m por 7 (700m quadrado) o valor ficou em 36.000 mil (anexo 2) mais uns pequenos gastos com o trator e aterro, vale lembrar que a rua do Avelós tem cerca de 70m x 7me a rua é em torno de 150m x 7m e a prefeitura diz que gastou mais de meio milhão nessa obra, é uma vergonha para o município, prefeito e vereadores que tem a função de questionar esses valores e não questionam.

Pois bem, resolvemos questionar e vamos brigar até o fim por um direito que é nosso, se o dinheiro já liberado (R$ 611.220, 46) dessa obra não é o suficiente para calçar nossa rua então que devolvam aos cofres públicos o dinheiro que nos pertence.

Por fim, termino esse texto dizendo “se é litigar que a prefeitura quer, é litigância que ela vai ter”.

Pamella Danielle

....