Mãe que adotou criança de Monte Santo faz protesto

    maeadotiva0411Após entregar a filha adotiva de dois anos à equipe do Conselho Tutelar de Indaiatuba (a 107 km de São Paulo), para reencontro com a mãe biológica Silvânia Maria Mota da Silva, 25 anos, de Monte Santo, Letícia Cristina Fernandes fez protesto, nesta terça-feira, 4, em frente ao Fórum da cidade. A criança que estava com ela e dois irmãos, de 3 e 4 anos, que viviam com outra família, foram levados à sede da SOS Criança, na capital paulista, onde Silvânia já havia reencontrado,  nesta segunda-feira, outros dois filhos que lhe foram retirados.

    A mãe adotiva reclama que não roubou ninguém e que a criança chegou a ela com ferimentos na cabeça. No protesto, abriu uma pasta com fotos que teria feito na ocasião da chegada da menina, para registrar o estado em que a recebeu. Letícia informou que fez tudo dentro da lei e que viajou à Bahia em duas ocasiões, para levar documentos e conhecer o juiz e a promotora. A mãe adotiva contou com o apoio de um grupo de mulheres em seu protesto. Elas alegaram que os filhos de Silvânia viveriam melhor com as famílias paulistas.

    casomonte0411A advogada Lenora Panzetti, que representa as famílias paulistas que tinham a guarda das crianças, disse que está encontrando dificuldades para impetrar recurso na tentativa de reverter a decisão judicial. “O juiz Cappio deu carga no processo e não o devolveu. Precisamos ter acesso aos autos do processo para autenticar nosso pedido de recurso. O direito de defesa está sendo cerceado, mas faremos tudo o que tiver que ser feito”, reclamou Lenora.

    A advogada relatou que as crianças não reagiram bem ao afastamento dos lares provisórios. “A reação foi a pior possível. As crianças choraram bastante. Os mais novos não têm a menor noção do que está acontecendo. Os mais velhos frequentavam a escola e, de repente, o juiz não avalia o lado psicológico  nem se preocupa com o fato de eles poderem terminar o ano letivo”.

    (Fotos reprodução: EPTV/ Vídeo TV Sol)