Mal-estar gerado no PT pode custar vaga de candidato a prefeito de Salvador a Pinheiro

pinheiroO mal-estar gerado na cúpula do PT da Bahia com o senador Walter Pinheiro, no rastro da entrevista à Veja em que ele espinafra companheiros, terá reflexos imediatos na escolha do candidato do partido a prefeito de Salvador em 2016.

A avaliação é de líderes das tendências mais numerosas da legenda no estado. Notadamente, da Reencantar e Construindo um Novo Brasil (CNB). Como até os santinhos da campanha petista sabem, Pinheiro havia direcionado todas as forças para ganhar a indicação daqui a dois anos.

Depois de perder a queda de braço com Rui Costa pela candidatura ao governo, era essa sua maior ambição. Tanto que, ao ceder espaço no páreo para Rui, negociou a eleição de um aliado de primeira linha, o sociólogo Edson Valadares, no comando do Diretório Municipal do PT.

Agora, com a voz de Pinheiro jogando as trapalhadas no Instituto Brasil sobre o colo de correligionários, a porta se fechou de vez para ele. (Correio)