Maria Marta já foi casada com o mordomo Silviano em Império; entenda

marrtasilvianoNos próximos capítulos de “Império” o grande segredo de Silviano (Othon Bastos) virá à tona. Ele já foi casado com Maria Marta (Lilia Cabral).

O autor Aguinaldo Silva contou em seu blog que Lorraine (Dani Barros) é quem vai desvendar o segredo do mordomo. A trambiqueira é procurada por Erika (Letícia Birkheuer), à mando de Téo Pereira (Paulo Betti).

Tudo acontece quando Téo procura Silviano para uma entrevista sobre o universo dos mordomos. Ao perceber que o blogueiro só quer saber do passado de Marta, ele decide ir embora.

Sem pistas sobre o passado da imperatriz, Téo manda Erika oferecer dinheiro para Lorraine descobrir algo na casa de Silviano, onde já entrou e chegou a roubar o diamante cor-de-rosa. A mulher de Ismael aceita o dinheiro oferecido por Téo e então vai até a casa de Silviano. Ela pula a janela e se esconde atrás da cortina. Quando o mordomo dorme, a trambiqueira começa a revistar os objetos dele.

Ela encontra uma pilha de revistas velhas, com cheiro de mofo e começa a revirá-las. Até encontrar um recorte que a deixa chocada: o casamento do ano entre Maria Marta de Mendonça e Albuquerque e seu noivo Renato.

“Seu Silviano guardou tudo sobre o casamento. Meu Deus do céu… Tá tudo documentado… lua-de-mel… tudo… E tem fotos!!! E esse Renato… É o… Não pode ser… Gente, isso aqui vale uma fortuna! E a loura mais o patrão dela vão ter que me pegar cada centavo!”, diz, para logo em seguida abraçar o álbum.

Ela liga para Erika, mas em seguida desiste de contar a descoberta. No outro dia, Silviano percebe que alguém entrou na sua casa e entra em pânico: “O álbum do matrimônio de madame que eu guardei esses anos todos! Alguém roubou… Isso não podia ter acontecido… Não podia!”. Ele corre para a casa de Marta e ela se espanta ao ver os trajes do mordomo. “Você não dormiu em casa?”, pergunta. E ele diz: “Dormi e nem percebi que saí de casa vestido impropriamente, a senhora me desculpe… mil perdões, mas aconteceu uma coisa terrível que me abalou de tal maneira…”.