Marido suspeito de matar professora em Tucano está preso em Euclides da Cunha

dsdtrO micro empresário Antônio Carlos Bittencourt, 48 anos, foi preso nas vésperas do natal, após ter prisão preventiva, decretada pela Justiça por ser o principal suspeito da morte de sua esposa, a professora Lícia Maria de Araújo Santana Bittencourt, 45. “Carlinhos da Relojoaria” como é conhecido, vinha sendo investigado desde o dia (5) de dezembro, dia em que ocorreu o crime.

A sogra de Carlinhos, professora Maria José de Araújo Santana, 73 anos, disse que, o genro chegou a sua casa procurando pela esposa, como ela não se encontrava, ele saiu e minutos depois, retornou e adentrou em uma residência ao lado, de propriedade da vó de sua companheira.  Sua sogra disse ainda que em fração de segundos, o micro empresário gritou por socorro dizendo que a esposa estava morta. “Quando ouvir os gritos de socorro do meu genro, corri pra lá e encontrei minha filha caída ao solo e ele tentando reanima-la. Então pedir para minha neta que ligasse para um filho meu, que chegou rapidamente e a levou para o Hospital Municipal Mariana Penedo, onde foi constatado o óbito”, narra.

Segundo a educadora, o corpo de Lícia Maria, foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Euclides da Cunha, onde foi constatado no laudo pericial cadavérico que a vítima tinha sido morta por asfixia mecânica. Ou seja, estrangulamento provocado por um objeto, possivelmente um fio de pequena espessura.

Diante do laudo pericial, depoimentos de familiares e a tentativa de induzir que a sogra afirmasse que havia encontrado “Licinha”, como era carinhosamente chamada por parentes e amigos, pendurada em um cinto, em quanto de fato, segundo  Maria José, a encontrou  caída no chão,  a Justiça decretou a prisão preventiva  de “Carlinhos”, que foi preso em Tucano e conduzido para a carceragem da Delegacia da cidade de Euclides  da Cunha, onde aguarda Julgamento.

Com informações do Gil Santos Notícias