Médica da Vale é a primeira vítima identificada em Brumadinho

A médica do trabalho Marcelle Porto Cangussu, enteada do juiz Christian Garrido Higuchi, que coordena a Central de Precatórios do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), é a primeira vítima confirmada da tragédia do rompimento da barragem I da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Marcelle se formou em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), há 10 anos, e trabalhava desde 2015 como médica do trabalho na Vale. Ela também atuava como médica de emergência, desde 2011, no Hospital Regional de Betim, também na região metropolitana. Marcelle era solteira e não tinha filhos. A médica do trabalho era a filho do meio de três irmãs.

50754145 10215597903352954 2801912895837831168 n
Foto reprodução

Segundo o juiz, na noite anterior à tragédia, Marcelle comemorou seu aniversário de 35 anos, em uma restaurante em Nova Lima, junto com amigos e familiares. “Nossa família foi de um extremo ao outro. Em um dia comemoramos a vida dela e, depois, a notícia desse acidente brutal e repentido. Estamos consternados”, lamentou Higuchi.

O último contato que a médica fez com os familiares foi às 12h22 de sexta-feira (25). “Ela falou com uma prima, mas sobre assuntos aleatórios. Pouco tempo depois, soubemos do acontecido. Tentamos falar com ela, mas não tivemos mais retorno”, contou o juiz. (O Tempo)