Medicamento feito com anticorpos é esperança no combate ao Covid-19

Um medicamento produzido pela combinação de anticorpos preveniu e tratou a covid-19 em macacos rhesus e hamsters, diz estudo da farmacêutica Regeneron publicado na segunda-feira, 3. A pesquisa é uma prévia e não foi revisada por pares, mas a empresa declarou que espera que o tratamento funcione também para seres humanos.

tagreuters.com2020binary LYNXNPEG721KC BASEIMAGE
REUTERS/Mike Segar

Desenvolvido pelo laboratório norte-americano, o coquetel de dois anticorpos monoclonais foi capaz de “quase bloquear completamente o estabelecimento da infecção viral”, afirmou a farmacêutica.

Regeneron disse que o medicamento também foi capaz de minimizar a infecção em um segundo estudo, no qual os animais foram infectados por uma quantidade muito maior do novo coronavírus.

A farmacêutica disse que os resultados se equiparam ou superam os efeitos conseguidos por candidatas a vacina em testes com animais. Segundo a companhia, os animais infectados com os anticorpos eliminaram o vírus mais rapidamente do que aqueles que receberam o placebo.

Tratamentos efetivos e imunização são vistos como ferramentas essenciais para parar a pandemia que já causou mais de 700 mil mortes no mundo. Atualmente, há 165 vacinas em desenvolvimento para combater o coronavírus – 26 destes estão sendo testados em seres humanos e seis estão na última fase dos ensaios, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os pesquisadores que coordenaram os testes declararam que o coquetel parece oferecer benefícios tanto na prevenção como no tratamento da covid-19.

Eles também afirmaram que os animais não mostraram nenhum sinal de aumento na carga viral ou piora da doença após o tratamento, uma constatação de segurança importante, que sugere que os sintomas não vão se agravar em humanos.

Os estudos foram conduzidos em 36 macacos rhesus e 50 hamsters. Resultados positivos em animais não são garantia de sucesso em pessoas. A Regeneron já iniciou testes clínicos em humanos para avaliar a efetividade do medicamento.

A empresa assinou um contrato de US$ 450 milhões com o governo dos Estados Unidos como parte do programa Operação Warp Speed, para fornecer o tratamento ao país, caso a eficácia fique comprovada.

Os anticorpos monoclonais, que são um tipo de imunoterapia, estão entre os medicamentos de biotecnologia mais utilizados. Outras farmacêuticas, como a Eli Lilly, estão testando tratamento similares contra covid-19. / Reuters