Meu filho é doente e precisa de cuidados especiais, diz pai de estuprador do ônibus

Meu filho não é bandido, ele é doente”, disse o pai do homem suspeito de abusar sexualmente de pelo menos 18 mulheres, a maioria delas dentro de ônibus, nos últimos oito anos no estado de São Paulo.

Sob a condição de que seu nome e rosto não fossem divulgados, o aposentado de 65 anos aceitou falar nesta quarta-feira (6) com o site G1 sobre a prisão do filho, Diego Ferreira de Novais, que está preso por um dos ataques cometidos.

diego de novais
Diego Ferreira de Novais deixa 78ª DP e é levado para o 2º DP (Foto: Leonardo Benassato/Framephoto/Estadão Conteúdo)

O ajudante geral de 27 anos e passou a ser um dos assuntos mais discutidos na imprensa nas últimas semanas por conta das diversas passagens por crimes sexuais.

“Uma pessoa normal não faz isso”, disse o pai de Diego, que não vê o filho desde a última prisão dele, no sábado (2), quando o ajudante esfregou o pênis em uma empregada em um coletivo no Centro da capital. Câmeras flagraram a prisão.

image
Foto reprodução

“Ele precisa de tratamento psiquiátrico”, falou o aposentado, que tem mais oito filhos, e mora com alguns deles em uma casa sem acabamento em uma comunidade de Americanópolis, Zona Sul de São Paulo. A mulher dele não quis falar.

A Defensoria Pública, que defende Diego, informou por meio de nota que entende que o ajudante deve ser solto para receber eventual tratamento médico.

O Ministério Público (MP) também pediu a realização de testes no ajudante, mas entende que ele tem de continuar isolado. (*Com informações do G1/SP)