Ministério de Minas e Energia concede Portaria de Lavra de diamante ao Projeto Braúna em Nordestina

1399551854_2096256048O Ministério de Minas e Energia (MME) outorgou à Lipari Mineração concessão para lavrar diamante em Nordestina, na região sisaleira da Bahia, município onde está sendo implantado o Projeto Braúna. A Portaria de Lavra, assinada pelo Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Carlos Nogueira da Costa Júnior, foi publicada no Diário Oficial da União na edição de terça-feira, dia 20 de outubro de 2015. “A Portaria de Lavra é mais um passo chave para a Mina Braúna. Sua publicação nesta data é de extrema importância para a execução do planejamento do empreendimento, especialmente para a manutenção do cronograma de operação e produção comercial, programado para o primeiro trimestre do próximo ano”, comemorou o presidente da Lipari Mineração, Kenneth Johnson.

O executivo destaca que todas as permissões e questões legais e ambientais inerentes ao Projeto Braúna estão sendo rigorosamente cumpridas e respeitadas, acrescentando que a empresa aguarda apenas a Licença de Operação (LO). “Agora ficamos na dependência somente da concessão da LO, aguardada para antes do final do ano, para manter e seguir com o nosso cronograma de produção atual”, pontuou Johnson. A implantação do Projeto Braúna segue para o décimo mês e se aproxima da reta final. As etapas do empreendimento, divididas de forma genérica, apresentam o seguinte status:  Supressão da vegetação – 100% concluída; Terraplanagem – 100% concluída; Construção Civil – 75% concluída; e Montagem Eletromecânica – 80% concluída.

Diante disso, a expectativa da empresa é que até novembro seja possível iniciar os testes de operação, de modo que ao final de dezembro todas as etapas estejam plenamente concluídas e o empreendimento apto para operar, com escalonamento de produção (ramp up), à partir de janeiro do próximo ano. Seguindo este planejamento, espera-se que em março de 2016 a Mina Braúna esteja operando em sua plena capacidade, ou seja, beneficiando 60.000 toneladas de minério kimberlítico por mês.

Sobre a Mina Braúna

A Mina Braúna será a primeira mina de diamantes em kimberlito da América Latina, com uma produção média anual de 360.000 quilates, em mina a céu aberto, com vida útil inicial de 8 anos e potencial para estendê-la com recursos adicionais em profundidade (mina subterrânea) e com a possibilidade de desenvolvimento das demais 21 ocorrências de kimberlito descobertas na região. Durante a operação, serão gerados mais de 250 empregos diretos e de 200 indiretos.

Com informações do Notícias de Santaluz