Morte de jovem por cobrar conserto de computador gera protesto na Bahia

protest_avenidaacmA morte de um jovem de 27 anos, ocorrida no dia 8 de março, em Salvador, provocou um protesto na Avenida Antônio Carlos Magalhães (ACM), sentido Lucaia, na manhã desta sexta-feira (21). O crime foi cometido por causa do atraso no conserto de um computador. Conforme Rita de Cássia, tia da vítima, o suspeito está detido em um presídio da capital baiana, mas advogados estão solicitando a soltura dele por meio de habeas corpus. “É contra isso que estamos protestando. Ele foi preso em flagrante e não pode ser solto”, disse.

Com cartazes e apitos, o grupo formado por cerca de 20 pessoas espalhou contêineres de lixo nas proximidades do Hospital Teresa de Lisieux, em uma região movimentada da capital baiana, a fim de repercutir o crime e evitar a soltura do homem supeito de ter esfaqueado Edgar Santos Silva, no bairro de Brotas.

Segundo Rita de Cássia, Edgar foi assassinado por ter cobrado a entrega de uma CPU que ele havia deixado com um morador do bairro, que atuava como técnico de informática.

Ela conta que a vítima havia levado o equipamento para ele consertar e que, todos os dias, cobrava a realização do serviço.
“Um dia a esposa dele [do suspeito] ligou para Edgar dizendo que ele já poderia buscar a CPU. Quando chegou lá, o técnico disse que iria levar [o equipamento] na casa dele. Quando Edgar estava voltando para casa, no meio do caminho, ele [o suspeito] veio com um faca e disse: você quer a CPU, então toma”, relatou a tia ao dizer que o sobrinho, que carregava o filho no momento do crime, foi atingido por cerca de 15 golpes de faca.

Protesto

Segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador), um grupo com cartazes e apitos interditou a passagem de veículos em frente a um loja de materiais de construção, por volta das 8h30. A manifestação, que já foi encerrada, durou cerca de uma hora e ainda deixa o trânsito lento em toda a região. (G1/BA)