Motociclista morre após colisão frontal na BR 116 em Euclides da Cunha

euclidesUma colisão ocorrida por volta das 20h30, do último domingo (05), na BR 116/Norte (Santos Dumont), há 8 km da cidade, trecho entre as localidades de Lagoa da Vaca e Santo Antônio, que ceifou a vida de Iranilton Andrade de Carvalho, um trabalhador de uma fábrica de beneficiamento de calcário, residente no bairro Jardim Brasil, em Euclides da Cunha, a colisão frontal foi provocada, segundo familiares da vítima, por imprudência do condutor do veículo GM Corsa, placa JLW 1519 – licença de Euclides da Cunha, conduzido por José Maique de Souza Cézar, apesar de a perícia técnica ainda não ter divulgado o resultado e a possível causa ou responsabilidade dos condutores envolvidos.

Informação obtida junto a uma pessoa da família da vítima, diz que Iranilton trafegava em sua mão de direção, no sentido Santo Antônio a Euclides da Cunha, quando foi atingido pelo veículo Corsa que tentava uma manobra de ultrapassagem numa reta não muito longa, antes do povoado de Santo Antônio.

Com o impacto, a motocicleta Yamaha YBR 125K, placa DHE licença de Santos-SP, que se encontra recolhida ao pátio da 1ª DT para perícia técnica, foi reduzida praticamente a uma miniatura, enquanto o carro teve a frente bastante danificada, como mostram as fotografias exclusivas do site euclidesdacunha.com. Por ironia, talvez, no para-brisa do Corsa, a inscrição “Jesus ilumine meu caminho”, não teve o apelo de Maique atendido pelo Senhor.

Segundo Jessé Bendito de Jesus, um dos seis ocupantes do Corsa, todos se dirigiam para a localidade do Outeiro, onde acontecia um churrasco. Jessé foi conduzido para a 1ª DT/Euclides da Cunha, por uma guarnição da Polícia Militar do 5º BPM, comandada pelo ten. Kleber, que atendeu a ocorrência, onde prestou depoimento e foi liberado. Maique evadiu-se do local e até às 15h50 desta segunda-feira, ainda não havia se apresentado a autoridade policial.

Por falta de médico legista no IML de Euclides da Cunha, situação que vem se repetindo com frequência, principalmente nos finais de semana, sem que haja providências por parte das autoridades do município junto ao órgão competente do Estado, no sentido de nomear um médico legista efetivo, o corpo de Iranilton foi removido para o IML de Juazeiro, para necropsia e posterior liberação aos familiares para sepultamento.

*Com informações e foto de José Dilson do Euclidesdacunha.com