Municípios do interior vão criar mais de 30 mil empregos; veja onde haverá mais oprtunidades

carteira-de-trabalhoO diretor de pesquisas da Superintendência de Estudos – SEI, Armando Castro, afirmou ao A TARDE que a criação de empregos na Bahia deve superar os 60 mil postos de trabalho em 2014, com a abertura de 30 mil vagas no interior e 30 mil na região metropolitana de Salvador.

“Ao contrário do pessimismo de alguns setores, nossa expectativa é de forte geração de emprego nos próximos anos. Somente como reflexo dos investimentos previstos, cuja boa parte está em implantação ou maturação, prevemos 147 mil empregos diretos e indiretos até 2016”, declarou Castro.

Segundo ele, apesar de estarem vinculados aos grandes investimentos, os novos empregos são, em sua maioria, gerados por pequenas e médias empresas, estimuladas pelo desenvolvimento do comércio e dos serviços.

No ano passado, por exemplo, a criação de empregos no interior foi maior do que o saldo registrado na região metropolitana de Salvador. Um movimento que deve se intensificar nos próximos anos, com a ampliação da infraestrutura em território baiano. Mas que já é o suficiente para manter milhares de baianos do interior em suas cidades natais.

Expansão em Feira

A nova chance veio por causa de uma movimentação econômica que está mudando o mercado de trabalho baiano. “Os programas sociais implantados nos últimos 10 anos e alguns grandes investimentos estão levando para o interior serviços e novas atividades econômicas”, atesta Evandro Mazo, o gerente-geral do Centro das Indústrias do Estado da Bahia (Cieb), o braço da Federação das Indústrias da Bahia (Fieb) para a defesa das empresas e o aumento da competitividade.

Em Feira de Santana, esse fluxo de investimentos deve criar mais de três mil vagas este ano somente no Centro Industrial do Subaé (CIS), segundo avaliação da diretoria da entidade.

“Pode ser que haja algumas dificuldades, pois estamos em ano de Copa e de eleições, mas esperamos criar mais de três mil vagas”, afirmou o diretor do CIS, Jairo Miranda.

Tanto Miranda quanto Mazo apostam na consolidação de Feira de Santana como um importante centro logístico por causa da localização privilegiada. Perto de Salvador e às margens da rodovias que unem o rico Sudeste aos outros estados do Nordeste.

Investimento em educação

O crescimento da cidade tem criado empregos em todas as áreas. No dia 12 de fevereiro, Cláudia Matos começou o trabalho na nova loja da TIM, no Boulevard Shopping. “É bom começar o ano com emprego”, comemora a vendedora.

O gerente-geral do Cieb afirma que vê, nesse momento, uma conjunção de fatores animadores quanto ao mercado de trabalho na Bahia, mas alerta que, para o desenvolvimento efetivo do estado, vai ser necessário investir em educação em todos os níveis (básico, médio, técnico e universitário) para que o interior da Bahia comece a oferecer oportunidades de trabalho com um maior nível de qualificação profissional e, consequentemente, com uma melhor remuneração.

Atividades econômicas que geram mais vagas

Feira de Santana
Indústria em geral, com destaque para alimentos, e logística. A cidade está recebendo importantes centros de distribuição

Oeste
O agronegócio atrai cada vez mais indústrias têxteis e alimentícias

Sudoeste
A mineração, geração de energia eólica e a indústria de plásticos empregam em toda a região. E Vitória da Conquista consolida-se como centro regional de prestação de serviços, como educação e saúde

Semiárido
A geração de energia eólica e a mão de obra disponível e barata atraem empregos

Vale do São Francisco
Além da fruticultura irrigada em Juazeiro, a mineração tem se tornado uma importante atividade econômica, especialmente em Sento Sé

Informações do A Tarde