Na luta pela vida, jovem cria campanha na web para poder fazer transplante

Até sete meses atrás, o jovem M. da S. S., 24 anos, morador da cidade baiana de Quijingue tinha uma vida normal, porém após sentir um mal estar foi levado até o hospital e acabou sendo diagnosticado com Leucemia, a partir daí o jovem iniciou uma longa e incansável luta pela vida.

Foram várias quimioterapias, 27 dias na UTI, duas paradas cardíacas e para completar os médicos detectaram uma bactéria que afetou todos os órgãos, seus movimentos foram comprometidos e o mesmo poderá carregar sequelas para o resto da vida. Assim como milhares de nordestinos, o quijinguense é daqueles que não desiste nunca, recentemente surgiu a possibilidade da realização de um transplante de medula em Recife, sem condições financeiras para arcar com as despesas ele resolveu tentar buscar ajuda na internet.

Como geralmente não se conhece a causa da leucemia, o tratamento tem o objetivo de destruir as células leucêmicas, para que a medula óssea volte a produzir células normais. O grande progresso para obter cura total da leucemia foi conseguido com a associação de medicamentos (poliquimoterapia), controle das complicações infecciosas e hemorrágicas e prevenção ou combate da doença no sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal).

Para alguns casos, é indicado o transplante de medula óssea. O tratamento é feito em várias fases. A primeira tem a finalidade de atingir a remissão completa, ou seja, um estado de aparente normalidade que se obtém após a poliquimioterapia. Esse resultado é conseguido entre um e dois meses após o início do tratamento quando os exames não mais evidenciam células leucêmicas. Isso ocorre quando os exames de sangue e da medula óssea e o exame físico não demonstram mais anormalidades.

 

....

COMPARTILHAR