Nova Courier? Ford deve lançar picape compacta em 2024

Composta por Maverick, Ranger, F-150 e demais grandalhonas da linha Série F, a gama de picapes da Ford poderá crescer nos próximos anos com a chegada de mais uma novidade. Em entrevista recente concedida ao site Muscle Cars and Trucks, Hau Thai-Tang, chefe de plataformas e diretor de operações da marca, adiantou que a ideia de lançar mais uma camionete – inédita e de porte compacto – é possível.

pickup renders
Foto reprodução / Kleber Silva

O executivo admitiu a possibilidade quando questionado sobre uma eventual picape menor que a Maverick. “Talvez sim”, disse ele, acrescentando que mercados da América do Sul, junto com a África do Sul, são bastante receptivos a veículos do tipo. Em ambas as regiões, não custa lembrar, a Ford vendeu por muitos anos a finada Courier, derivada da plataforma do Fiesta e concorrente direta de modelos como Fiat Strada e Volkswagen Saveiro.

Ainda na mesma entrevista, Thai-Tang disse que a Maverick não deve ser considerada sucessora do Fusion, como muitos apontam. O sedã saiu de linha nos Estados Unidos em razão da nova estratégia de mercado da marca, mas ganhará uma nova geração em mercados específicos, como o europeu. Flagras adiantam que o modelo poderá sofrer influência dos SUVs e ganhar suspensão com altura elevada e carroceria mais parruda. O retorno ao mercado norte-americano é uma possibilidade.

ford pickup renders
Foto reprodução / Kleber Silva

Outra questão levantada dentro da Ford diz respeito à oferta de veículos mais baratos nos EUA. Atualmente, a picape Maverick e o EcoSport são os carros mais acessíveis da empresa por lá, custando ao redor de US$ 20 mil. O SUV, no entanto, não deve durar muito tempo do mercado, tendo em vista que está saindo de linha no mundo todo (no Brasil, foi oficialmente descontinuado no início do ano).

Ford Ranchero2 1024x768 1
Foto reprodução / Kleber Silva

O lançamento de veículos mais baratos por lá vem sendo cogitado, principalmente depois do fim dos modelos Fiesta e Focus. O próprio CEO da marca, Jim Farley, reconheceu que a demanda existe por parte de muitos clientes.