Novidades na estética permitem barriga chapada sem cirurgia

RTEmagicC_barrigachapada.jpgFaltam três meses para o Verão. Tempo exato para se ver os resultados na hora de esculpir as formas e eliminar as gordurinhas indesejadas. Para os que dão muita importância à aparência ou a consideram fundamental –  ou seja, 65% dos soteropolitanos, conforme levantamento do Instituto de Pesquisa Futura – existem inúmeras opções.

Da velha fórmula de unir dieta e atividade física até os mais avançados recursos da tecnologia, que permitem derreter a gordura das células, esvaziar as células de gorduras ou até mesmo quebrar as moléculas de gordura por meio do congelamento e sem a necessidade de fazer cirurgias ou recorrer ao bisturi.

De acordo com o cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e do Colégio de Cirurgiões do Brasil, Nonato Fontes, quando a autoestima está em jogo, vale recorrer aos recursos tecnológicos para melhorar a aparência, mas antes de optar por qualquer um desses tratamentos ou até mesmo pela cirurgia plástica, é fundamental conhecer o procedimento, saber qual a indicação correta, as contraindicações e buscar os profissionais capacitados para realizar o procedimento.

“Um levantamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica mostrou que 98% das intercorrências relacionadas às plásticas ocorridas no Brasil foram feitas por profissionais não especializados”, pontua o médico. Nonato Fontes também chama atenção para o fato de que esses procedimentos servem para realçar o contorno corporal, retirar gorduras localizadas e não para a perda de peso.

Tecnologias
A fisioterapeuta Janina Andrade, do Spa Urbano, lembra que, atualmente, existem três tecnologias que são comercializadas como lipo sem cortes: a ultracavitação, a criolipólise e a aplicação de enzimas.

Ela explica que a ultracavitação consiste na aplicação de ultrassons na pele que transformam o estado sólido da gordura presente nas células em líquido. “Como a frequência usada aumenta o fluido intersticial do tecido adiposo, o método não é indicado para quem tem colesterol alto”, esclarece, pontuando que o tratamento pode ser feito tanto no abdômen como no bumbum, graco, entre outros. O procedimento é indolor e seguro, pode se feito uma vez por semana em cada área e cada aplicação pode variar de 30 a 50 minutos.

Na criolipólise é usada uma técnica de congelamento da gordura corporal, que possibilita a eliminação de 25% da gordura localizada numa única sessão. Para tanto, é aplicado um gel sobre a pele e o aparelho é posicionado na região que deve ser tratada. A área é então sugada e aquecida e depois resfriada a –8°C por uma hora.

“A gordura se cristaliza e as células adiposas morrem e depois são eliminadas pelo sistema linfático”, explica. A criolipólise pode ser aplicada na barriga, flancos, costas, coxas e braços, sendo que a técnica permanece atuando no organismo por três meses, só podendo ser reaplicada após esse período.

Janina chama atenção para o fato de que o método de congelamento de tecido adiposo deve ser usado por quem está bem perto das medidas ideais, necessitando apenas de retoques em áreas específicas e mais resistentes às dietas e às atividades físicas.A aplicação de enzimas, como o lipossoma de girassol, também tem sido muito procurado por quem quer se livrar das dobrinhas e dos excessos na área da cintura. Segundo a fisioterapeuta, essas enzimas também ajudam a quebrar as células de gordura do organismo.

“No entanto, quem optar por essa técnica precisa lembrar que ela só vai apresentar resultados se o organismo metabolizar a gordura e para isso é necessário haver um gasto calórico maior que o consumo, do contrário, tudo volta ao que era antes”, explica. Ela ressalta que nessa técnica é possível fazer novas aplicações a cada cinco dias e que pessoas com problema de colesterol alto não devem optar por ela em virtude do excesso de gordura que o organismo precisa metabolizar.

Alcachofra
Pablo do Arrocha, Nara Costa, Roseane Pinheiro, Pró Jaque. Além de fazerem parte do cenário de artistas locais, eles têm em comum o uso das enzimas para reduzir as medidas, em especial aquelas à base de creaticol, cafeína e alcachofra que há seis anos são aplicadas e recomendadas pela nutricionista Patrícia Lacerda.”Os resultados são bons, mas a pessoa precisa ter vontade de assumir as mudanças na vida, como se alimentar melhor e malhar”, diz a Pró Jaque.

As informações são do Correio 24 Horas