“Nunca fiz mal a ninguém”, escreveu guarda que ateou fogo em creche municipal

A morte do segurança Damião Soares dos Santos, que foi a óbito às 15h30 no Hospital Regional de Janaúba, em Minas Gerais, ocorreu cerca de meia hora depois de um perfil atribuído a ele no Facebook ser excluído da rede social.

Na página, ele era apresentado como Damião Picolé – forma como era conhecido na região por vender sorvetes. O perfil já estava repleto de xingamentos de internautas revoltados com o crime praticado em uma creche municipal onde ele trabalhava como vigia. No momento, ele estava afastado por licença médica.

whatsapp image 2017 10 05 at 15.26.02 1.jpeg
Foto reprodução/Facebook

Em sua última publicação na rede social, na última segunda-feira, Santos escreveu: “Se alguém duvidar, visita minha família. Eu fazia de tudo para ajudar; nunca fiz mal a ninguém”.

whatsapp image 2017 10 05 at 15.20.42.jpeg
Foto reprodução/Facebook

Não se sabe se a mensagem tem algo a ver com o que ocorreria três dias depois na creche mineira. O internauta costumava fazer publicações regulamente sobre questões sociais e, ao final delas, muitas vezes, deixava a pergunta “que país é esse?”.

Ele tinha, atualmente, cerca de 350 amigos no Facebook e era seguido por, pelo menos, 97 pessoas. Os números foram atualizados até as 15h desta quinta-feira, antes de a página ser excluída.

damiao2
Foto reprodução/Facebook

Com base em informações do Corpo de Bombeiros e da prefeitura de Janaúba, ao atear fogo em crianças, funcionários e no próprio corpo dentro do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente (Cemei), situada no Norte de Minas Gerais, Santos provocou a morte de ao menos cinco pessoas, além de deixar 45 feridas, nesta manhã.

A prefeitura afirmou ainda que ele atuava como segurança desde 2008 e que nunca teve qualquer ocorrência em seu currículo.

Com informações do EXTRA