O campeão quer voltar: “Quando posso treinar?”, pergunta Anderson Silva a médico do UFC

RTEmagicC_bbf116439d.JPGOs fãs de Anderson Silva podem ficar tranquilos. Após a grande especulação sobre uma possível aposentadoria do lutador, que perdeu a revanche para o americano Chris Weidman e sofreu uma grave fratura na perna, o “Spider” já deu sinal de que quer voltar o mais breve possível ao octógono.

De acordo com o médico ortopedista do UFC Steven Sanders, que operou as fraturas na tíbia e na fíbula do atleta, o brasileiro já está ansioso para saber quando poderá voltar a treinar. “Antes da cirurgia, suas perguntas eram sobre quando poderia treinar. Se tivesse de dar um palpite, acho que a fratura estará curada entre 3 e 6 meses, e ele estará liberado para treinar entre 6 a 9 meses”, explicou.

O médico reforçou ainda que não sabe qual será o futuro do lutador e garantiu que não faz questionamentos sobre o seu desejo de voltar a lutar. “É uma fratura extremamente instável e uma lesão séria. A coisa mais importante é dar a ele informações e quais são os prognósticos. Ele teve uma lesão séria e estamos a menos de 48 horas da cirurgia. Fazemos avaliações constantes e não posso dizer nem quando ele terá alta”, explicou o médico.

Na cirurgia, o médico precisou colocar uma haste de titânio dentro do canal do osso, de 11,5 milímetros de diâmetro. “Ela se adapta muito bem à biologia humana. Não vemos casos de rejeição. Pode ser removida, claro, mas é possível ficar pelo resto da vida”, explicou. ALém disso, foram colocados parafusos para estabilizar o osso e evitar a rotação da haste de titânio. “É uma contusão que dói bastante e temos de usar medicação para aliviar as dores. Uma coisa que posso garantir é que a idade dele não pesa na recuperação da fratura”, finalizou o médico.

Aos 38 anos, Anderson Silva chegou a levantar a possibilidade de encerrar a carreira após a primeira derrota para Chris Weidman, em julho deste ano, quando perdeu o cinturão dos pesos-médios. O atleta, no entanto, voltou atrás e disse que iria cumprir o seu contrato com o UFC até o final.

Em dezembro, o brasileiro voltou a lutar com Weidman, em Las Vegas, e foi derrotado ao quebrar a perna após chutar o joelho do oponente. Spider sofreu fraturas na tíbia e na fíbula e precisou passar por cirurgia.

Spider, que recebeu o mais alto salário do UFC 168, avaliado em aproximadamente R$ 1,4 milhão, ainda tem mais nova lutas de contrato com o UFC. (As informações são do Correio 24h)