Operação da PF combate pedofilia na Bahia e em outros 10 estados

federal86 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão serão cumpridos pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (19) nos estados da Bahia, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Maranhão, Minas Gerais, Ceará e Goiás. A ação busca pessoas ligadas a crimes de pedofilia cometidos, em sua maioria, na internet. 3 indivíduos já foram identificados como abusadores de crianças. Um deles é suspeito de abusar sexualmente da própria filha, de 5 anos.

A operação foi batizada de “Glasnost“, palavra que em russo, significa “transparência“. O nome foi escolhido porque alguns dos investigados utilizavam um site hospedado em um servidor na Rússia para divulgar material pornográfico envolvendo crianças, adolescentes e até recém-nascidos sendo abusados sexualmente. Cerca de 400 policiais federais participarão da operação.

A PF informou que os trabalhos envolvem ainda a investigação de brasileiros residentes nos Estados Unidos. Para capturar estes suspeitos, a Polícia Federal Americana (FBI) irá colaborar.

2 anos de investigações

Durante 2 anos a PF investigou os suspeitos. A operação Glasnost é classificada pela instituição como “uma das maiores operações de combate à pedofilia já realizadas no Brasil”. Além dos mandados expedidos, mais de 200 outras pessoas continuam sob investigação dos federais.

Dentre os investigados estão um Policial Militar, um oficial da Aeronáutica, vários professores e um chefe de grupo de escoteiros.