Paulo Souto defende conquistas de sua gestão e diz que Wagner faz maquiagem

Paulo_Souto1_bocaonews_GJEnquanto os apoiadores do Governo do Estado sustentam diariamente supostos feitos em relação a ganhos salariais de servidores em detrimento das antigas políticas das gestões do finado PFL, o ex-governador Paulo Souto resolveu quebrar o silêncio e se posicionar de maneira mais contundente sobre o assunto. Usando sua conta no Facebook, o demista defendeu os aumentos que deu em seu último governo e disse que a administração Wagner precisa fazer uma espécie de maquiagem para alcançar resultados parecidos.

Segundo Souto, em três dos quatro anos de seu último governo (1995-1998) a gestão concedeu aos servidores um aumento do vencimento-base idêntico ao do salário mínimo na época. No último isto não teria sido possível devido às limitações impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, mas o salário-base era maior que o mínimo no fim do ano. Wagner, por sua vez, não teria sido capaz de fazer o mesmo.

“No atual governo, em sete anos, apenas no primeiro ano houve aumento do vencimento-base igual ao aumento do salário mínimo. Em todos os outros, o que o Governo fez foi, antes do aumento, incorporar ao vencimento-base uma parte da gratificação, que era reduzida do mesmo valor, e com isso aproximar o valor daquele proposto para o salário mínimo, concedendo então um aumento bem menor que o aumento do salário mínimo”, explicou.

A manobra fiscal usado pelo governo, afirma o ex-gestor, é a forma que Jaques Wagner tem para tentar igualar seus feitos salariais aos servidores aos da época pefelista. O esclarecimento, ele atesta, surgiu após o que chamou de “provocação que surgiu”. “Só para lembrar que conquistas importantes como o FUNPREV, o PLANSERV, a criação da carreira de Gestores, os Contratos de Gestão que permitiram ganhos significativos em algumas áreas, foram implantadas em nosso período. Não voltarei ao assunto.”

Bocão News