PIB baiano supera o nacional com crescimento de 4% no segundo trimestre

111

84d75106fc9353b742557c9ebd13f52bO crescimento de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) baiano no segundo trimestre de 2013, em comparação a igual período do ano passado, acima dos 3,3% do PIB nacional, foi comemorado , nesta sexta-feira (30), pelo governador Jaques Wagner, após a divulgação oficial do resultado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento (Seplan).

“Tivemos um resultado espetacular se comparado com a média nacional, divulgado hoje pelo IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística], e isso só nos faz ter a certeza de que estamos seguindo uma política acertada de oferecer condições adequadas para as empresas investirem cada vez mais na Bahia”, disse Wagner.

De acordo com os dados da SEI, de abril a junho deste ano, a indústria baiana (transformação, extrativa, construção civil, produção e distribuição de eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana) apresentou crescimento de 6,5% na comparação com o mesmo período de 2012. Já nos primeiros seis meses do ano, o crescimento do setor foi de 5,5%.

Indústria de transformação

O destaque do segundo trimestre de 2013 foi a indústria de transformação baiana, que registrou expansão de 10,6%, favorecida pelo crescimento de 14,3% no refino de petróleo, 11,2% em produtos químicos, 35,6% na metalurgia básica e 29,3% em veículos automotores.

“Os investimentos que vêm sendo feitos pela iniciativa privada estão pulverizados por todo o estado, fortalecendo a economia baiana, promovendo a geração de mais emprego e reduzindo, inclusive, os efeitos da crise econômica mundial”, completou o governador Wagner.

Segmento de transporte lidera setor de serviços

Os serviços baianos cresceram 3,1% no segundo trimestre de 2013, acumulando, no primeiro semestre, expansão de 2,5%. No segundo trimestre, o segmento de comércio, com alta de 3,5%, foi o grande destaque do setor de serviços. Logo em seguida, aparecem as atividades de transporte de cargas e passageiros com 3,3% e administração pública – principal atividade da economia baiana – com expansão de 2,5%.

De acordo com o diretor-geral da SEI, Geraldo Reis, o PIB do setor agrícola do 2º trimestre apontou retração de 3,9%, devido à seca que há dois anos atinge a Bahia. As chuvas que caíram em algumas áreas nos últimos meses possibilitaram que o feijão obtivesse resultado positivo na primeira safra, em relação a 2012, com 79 mil toneladas. A colheita do café também já aponta melhora da produção em relação às expectativas, alcançando +4,7%, com 150 mil toneladas para a safra no estado.