Pinguim é fisgado por anzóis de pescador no litoral baiano

pinguimUm pinguim foi localizado nesta quinta-feira (23), na praia do Porto da Barra, em Salvador. O animal estava nadando quando acabou sendo fisgado por anzóis de um pescador e ficou com os ganchos metálicos presos no bico e no esôfago. O professor Mateus Harfush, que dava aula de mergulho a alunos e avistou a ave no local, ajudou a resgatar o bicho e apelou por ajuda em uma rede social.

“Eu liguei para um amigo nosso que é fiscal do Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis] e ele nos deu o número da Guarda [Ambiental]. Eles chegaram em 30 minutos, bem rápido. Depois, levaram o pinguim para o Instituto Mamíferos Aquáticos, em Pituaçu”, afirmou.

um-doisPessoas que estavam no local ajudaram a retirar o bicho da água. “Estava dando aula pela manhã e vi que ele estava nadando. Depois, quando terminei, pedi a um instrutor de mergulho para fazer imagens. Em seguida, o pescador acabou fisgando ele”, conta.

Depois de ser retirada do mar, a ave foi colocada pelo professor em um tanque que fica dentro da escola de mergulho onde trabalha.

A veterinária Joana Ikeda, do IMA, informou que o animal passa bem. Segundo ela, o anzol que estava preso no bico da ave foi retirado. “O outro, que está preso no esôfago a gente ainda não conseguiu remover. Já fizemos um raio-x e tentaremos retirar o anzol com endoscopia amanhã [sexta-feira]”, disse.

A veterinária do IMA também informou que está cuidando de outros três pinguins, encontrados na semana passada nos bairros da Ribeira e Piatã, na capital. De acordo com Ikeda, em entrevista ao G1 no início do mês, o litoral baiano não é considerado rota de migração para a espécie, mas quando eles surgem na Bahia geralmente é porque são animais jovens e inexperientes, que pegam correntes erradas e acabam chegando no estado. As informações são do G1/BA