Polícia prende dono de “boteco” e apreende maconha e cocaína em Euclides da Cunha

apreensao euclides 01
Foto: José Dilson/Euclidesdacunha.com

Uma guarnição da CETO (Cia de Emprego Tático Operacional) do 5º BPM, composta dos sds Peixoto, Sampaio, Edvaldo, em ronda ostensiva pela cidade, prendeu em flagrante a pessoa conhecida como “Dedé”, proprietário de um bar localizado no bairro do Dengo, em Euclides da Cunha. O fato se deu por volta das 09h30, quando a guarnição fazia ronda pelo bairro, um local frequentado por usuários de drogas.

Dedé, segundo o próprio, não é usuário de drogas, mas o policial disse que se trata de pessoa visada, pois já fora pego portando trouxinha de maconha. “Por três vezes, o abordei, porém, a quantidade de maconha que portava não era suficiente para autuá-lo em flagrante”, disse.

De acordo com a nova lei das drogas, pequena quantidade de entorpecente (maconha), não pode servir como prova de tráfico ou autuação em flagrante para o usuário ou portador.

A guarnição observou que no local havia um adolescente e resolveu fazer uma abordagem. Na revista feita ao estabelecimento, foi encontrada uma sacola plástica contendo aproximadamente 200 gramas de maconha pronta para o consumo, quatro pinos de substância análoga à cocaína, além de R$ 517,00 em espécie.

Também foram apreendidas quatro gaiolas com pássaros silvestres, cuja criação é proibida pelo IBAMA.
Dedé é portador de diabetes e está sofrendo de catarata nos dois olhos, segundo disse. O menor, de 15 anos de idade, que reside na localidade de Barra do Tanque, região do povoado de Serra Branca, distante mais de 30 km da cidade, disse que não é usuário de drogas, mas que gosta de beber aguardente e estava no bar para comprar a bebida.

Uma terceira pessoa que se encontrava no estabelecimento, e também foi conduzida, disse que reside próximo ao açude Tanque da Nação, é trabalhador rural e usuário de maconha, porém, não trafica.

A mãe do menor foi comunicada sobre a apreensão do filho e compareceu à 1ª DT, onde ouviu o relato da autoridade de plantão, assinou um termo de responsabilidade e o jovem foi liberado.

O homem, após ter sido ouvido pela autoridade, também assinou um termo e foi liberado, pois não portava maconha.

A droga foi encaminhada ao DPT para análise e a quantia em dinheiro apreendida foi anexada ao Inquérito e encaminhada ao cartório da DT.

Dedé foi recolhido ao xadrez, e deverá responder pelos crimes de tráfico de drogas e crime ambiental.
Fonte: José Dilson/Euclidesdacunha.com