Prefeitos enfrentam dificuldades para contratar médicos, aponta ABM

    listas posts 61755 jpg 200 200 2 0  jpgO presidente da Associação Brasileira de Municípios (ABM), Eduardo Tadeu, disse nesta terça-feira (22) que os prefeitos têm enfrentado dificuldades para contratar médicos. O relato foi feito ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha durante reunião na qual foi entregue uma carta endereçada a presidente Dilma Rousseff. No documento a associação e outras entidades pedem a adoção de medidas por parte do governo federal para resolver o problema. Segundo Tadeu, as prefeituras tentam de várias formas contratar médicos, mas não conseguem preencher as vagas. “Eu fui prefeito por oito anos e nunca consegui completar o número de médicos necessário nas unidades básicas de saúde. Tem um número pequeno de profissionais e os municípios ficam quase fazendo um leilão por esses profissionais”, contou, segundo a Agência Brasil. Para resolver o problema, o presidente defende ampliação das vagas nas faculdades de medicina e mais facilidades para a contratação dos profissionais formados no exterior. “Esses médicos [graduados fora do país] poderiam prestar serviços nos municípios mais necessitados, principalmente na atenção básica. O governo poderia flexibilizar o exame exigido para esses profissionais, até mesmo reconhecendo algumas faculdades estrangeiras”, sugeriu. Atualmente, a taxa é 1,9 médico por mil habitantes no Brasil. Para o Ministério da Saúde, o ideal seria elevar para 2,7 médicos por mil habitantes, o mesmo índice do Reino Unido.