Itiúba e mais 34 municípios baianos levam nota zero em ranking de transparência

Businessman looking through a magnifying glass to documentsO Ministério Público Federal (MPF) divulgou o ranking nacional da transparência, onde aponta os municípios e estados que tiveram avanços ou retrocesso no cumprimento da lei de acesso à informação do ano passado para cá. Segundo o estudo, em um cenário geral, o nível de transparência de estados e municípios brasileiros aumentou cerca de 31% em seis meses, a partir da atuação coordenada do MPF em todo o país. Foram avaliados portais de 5.567 municípios, 26 estados e o Distrito Federal. O Índice Nacional de Transparência subiu de 3,92, em 2015, para 5,15, em 2016.

A promotoria ressalta que estados e municípios que ainda descumprem as leis de transparência serão acionados judicialmente. Na Bahia, segundo consulta feita pela reportagem aos dados do MPF, 35 cidades tiveram nota zero no ranking da transparência, são elas:

1. BARRO ALTO-BA
2. BIRITINGA-BA
3. BREJÕES-BA
4. CAETITÉ-BA
5. CANARANA-BA
6. CANDEAL-BA
7. CATU-BA
8. DOM MACEDO COSTA-BA
9. ÉRICO CARDOSO-BA
10. FORMOSA DO RIO PRETO-BA
11. GONGOGI-BA
12. IAÇU-BA
13. IBIQUERA-BA
14. IPIAÚ-BA
15. ITAPETINGA-BA
16. ITIÚBA-BA
17. IUIÚ-BA
18. JABORANDI-BA
19. JUSSARA-BA
20. LAGOA REAL-BA
21. MANOEL VITORINO-BA
22. MARCIONÍLIO SOUZA-BA
23. MEDEIROS NETO-BA
24. NOVO HORIZONTE-BA
25. PARAMIRIM-BA
26. PÉ DE SERRA-BA
27. POJUCA-BA
28. RIBEIRA DO AMPARO-BA
29. RIO DO PIRES-BA
30. SANTALUZ-BA
31. SÃO DOMINGOS-BA
32. SÃO JOSÉ DO JACUÍPE-BA
33. SERRA DO RAMALHO-BA
34. VÁRZEA NOVA-BA
35. WANDERLEY-BA

No extremo, estão vinte municípios destacados pelo MPF como exemplos de transparência dos dados da administração pública. Entre as 417 prefeituras baianas, a de Cansanção ficou na 294ª colocação, Nordestina na 303ª, Monte Santo na 226ª e Euclides da Cunha na 18ª.