Pregador Ronaldo Santos – Quem São o Sal da Terra e a Luz do Mundo?

190052_366235136833225_1768537399_n111111111Frequentemente, a religião ensina que ser o sal da terra ou a luz do mundo, está relacionado com a aparência exterior do corpo, em querer parecer especial. Desde o tempo antes de Jesus, os fariseus tinham esta mesmíssima interpretação.

Eles, os fariseus, procuravam em sua errônea interpretação das escrituras, se diferenciar dos demais homens, pela forma como se vestiam, pelo modo de saudação que usavam, por orações longas em público, pela prática minuciosa de rituais e elementos prescritos pela tradição dos rabinos, mas nunca pela transformação do coração e na abundância do amor ao próximo.

Não compreenderam que a luz dos verdadeiros discípulos, não vinha deles mesmos, mas era uma reflexão da luz do Pai.
O Sal da Terra

O sal que fica insípido e perde o sabor é uma simbologia, que aponta para o discípulo que deixa de ter as características do Mestre, ou seja, aquele que não exerce a humildade, a mansidão, o amor e deixa de reconhecer a sua pobreza espiritual, a necessidade de estar na constante dependência de Deus.
A influência que Jesus se refere, não pode ser odiosa, cheia de preconceitos com aqueles quem costumamos chamar depreciativamente de “ímpios”. A nossa influência deve ser pautada nas boas obras, na ajuda a sociedade, no apoio e consolo dos necessitados.

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” Mateus 5:16

Os fariseus tinham toda aquela aparência de santidade, roupas diferenciadas, posição social elevada, diplomas, doutorados, entretanto, se questionados firmemente, logo reagiam desembestadamente, exibindo arrogância e violência particulares.

Ao passo que Jesus, sempre deu exemplo de humildade e mansidão.

“e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.” Mateus 11:29

Ser sal da terra e luz do mundo, se traduz no modo como tratamos o próximo. É na obediência e respeito aos nossos patrões, é não chegar atrasado no trabalho, sem justificativa.

Ser sal da terra e luz do mundo está na forma de falar com a esposa, no carinho com os filhos, no respeito ao professor, em não ultrapassar o sinal vermelho no trânsito.

Em fim, são muitas as particularidades da vida diária que mostram se somos realmente da luz ou se estamos vivendo apenas de aparência. Não adianta dizer que é “cristão” e não entender que a fé se manifesta nas boas obras.

A materialização do amor é a caridade. Seja sal da terra e luz do mundo, influencie, se possível sem palavras, mas com obras e atitudes de paz e amor, humildade e mansidão.

Assim os homens perceberão o seu testemunho, e o nome do Senhor será engrandecido!

“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;” Mateus 5:44

Até a próxima matéria, querendo Deus.