Prevenção: novos conhecimentos garantem velhice mais saudável

envelhecimento-saudavelA expectativa de vida do brasileiro cresceu. Para os homens, ela chega a 71,3 anos e 78,5 para as mulheres. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE), em 2041, a média será de 80 anos para ambos os sexos. No entanto, mais do que viver mais, é fundamental viver melhor.

De acordo com o médico geriatra Adriano Gordilho, envelhecimento não precisa ser sinônimo de adoecimento e, para envelhecer bem, é preciso fazer as escolhas corretas desde a infância, apostando e investindo em cuidados preventivos que não apenas vão proporcionar uma velhice funcional, como também afastarão o risco de diversas doenças crônicas como o diabetes, hipertensão, câncer e outras.

“Para o envelhecimento saudável, a genética contribuirá com 20%, o ambiente com outros 20% e o estilo de vida com 60%”, esclarece o médico, ressaltando que, como ainda não é possível mexer na genética, a saída é cuidar do estilo de vida.

O médico lembra que tudo o que se faz ao longo da existência impactará na velhice, por isso mesmo é importante que as crianças sejam amamentadas, tenham acesso às vacinas, façam atividade física e se alimentem bem. Gordilho chama atenção para o fato de que é preciso romper a cultura de que o idoso é um indivíduo doente ou inválido.

No peso
Com uma postura parecida, a médica Pérola Grinberg Plapler afirma que o passar dos anos não precisa representar o surgimento inevitável de dores, problemas articulares e dificuldades de movimentação. “Se a pessoa mantém o peso e realiza atividade física orientada, isso permite que haja um fortalecimento e alongamento muscular, que protege as articulações”, esclarece.

A médica participou de um estudo recente feito conjuntamente pela Sociedade Brasileira de Reumatologia, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação e Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho que mostrou que mais de 10 milhões de brasileiros sofrem com artrose.

“A doença se manifesta mais cedo nos homens, particularmente no joelho, antes dos 60 anos e depois no quadril após essa idade. Mas, quando a mulher entra no período da menopausa, os índices de prevalência se aceleram, alcançando níveis próximos ao dos homens, às vezes superando-os”, explica a médica.

idososPrevenção
O ortopedista e especialista em terapia ortomolecular Marcelo Bonanza lembra que, além das atividades físicas, que permitem o fortalecimento dos músculos, outra boa dica para envelhecer com qualidade de vida é ir fazendo um bom depósito de cálcio ao longo da vida por meio da alimentação e dos banhos de sol diários e em horários adequados. “A exposição solar ajuda o metabolismo do organismo e elimina toxinas, realizando uma prevenção contra doenças como a artrite, arteroesclerose, edemas linfáticos,  estresse, esclerose múltipla, além do raquitismo e da osteoporose”, garante o médico.

O sol é de fundamental importância para o sistema endócrino, responsável pela produção dos hormônios e pela formação do tecido ósseo, além de sintetizar a vitamina D para o organismo.

“É importante que se lembre que 95% da vitamina D necessária para o organismo vem do sol e apenas 5% é retirada de alimentos como a sardinha e os óleos de fígado de peixes, como o bacalhau”, lembra o especialista, salientando que o sol é gratuito.

Tão importante quanto a saúde física é a saúde mental. Adriano Gordilho lembra que, embora o envelhecimento altere a capacidade cognitiva, quanto mais a pessoa usa a mente com a aprendizagem de coisas novas, a memória, mais lenta será a perda das faculdades mentais. “O estímulo intelectual é fundamental, daí a importância de se manter ativo, realizando tarefas novas, conhecendo novas pessoas”, esclarece o especialista. Ele  ressalta a importância de garantir a independência do idoso, estimulando  a autonomia.

Laboratório DNA inaugura espaço voltado para terceira idade
DNA Viver Melhor +50. Esse é o nome do novo espaço de um dos mais tradicionais laboratórios de análises clínicas, com especialidade em genética, o DNA Laboratório, voltado para atender à população da terceira idade.

Com uma estrutura de 300 metros quadrados de área construída, sendo 150 metros quadrados dedicados a esse público, o DNA da Pituba (Rua Território do Acre, nº 65, Pituba) vai atender aos exames dessa faixa etária no período da manhã e promover atividades culturais no período da tarde.

Para atender a um público tão especial, a unidade conta com a presença de um gerontólogo, profissional especializado em promover o bem-estar dos idosos, que acompanhará todos os processos e ficará também responsável pela oferta de cursos e oficinas com temas como nutrição, aposentadoria, novas tecnologias, dançaterapia e sarau literário.

Show com Luiz Caldas arrecadará fundos para o Naspec
O cantor Luiz Caldas vai reunir um time de cantoras baianas no show beneficente Mulheres de Luz. A ação, coordenada pelo Projeto Repartir, vai arrecadar fundos para o Naspec (Núcleo Assistencial para Pessoas com Câncer) em comemoração ao Outubro Rosa.

O evento acontece no dia 23 de outubro, às 21h, no Teatro Castro Alves. Este será o segundo ano em que o cantor participa de eventos beneficentes em prol da causa do Outubro Rosa. “Acho importantíssimo que esta causa seja difundida e que as pessoas saibam sobre o diagnóstico precoce. Poder colaborar de alguma forma é muito gratificante”, afirma Caldas.

Entre as cantoras confirmadas estão nomes como Margareth Menezes, Carla Visi, Alinne Rosa, Rebeca Matta e Kall Medrado. Entrada: R$ 30 (meia-entrada) e R$ 60 (inteira)/Informações: (71) 3117-4899 (bilheteria do TCA, das 12h às 18h).