Professor universitário cria polêmica ao afirmar que leis são como mulheres: “feitas para serem violadas”

20150423-11159453_901000633296150_4816100785419200248_nUm professor de Universidade Rio Grande do Sul esperava apenas fazer um ‘momento de descontração’ em sala de aula, mas acabou despertando uma grande polêmica nas redes sociais após dizer que “as leis são como as mulheres, foram feitas para serem violadas”.

De acordo com o jornal “Zero Hora”, a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) prometeu tomar providências contra a brincadeira de Fábio Melo de Azambuja.

A história foi revelada e tomou grandes proporções após o estudante Luan Sanchotene, na última quarta-feira (22), ter demonstrado indignação com o que o professor considerou uma “piada”. Em postagem no Facebook, o estudante gerou reações diversas. “Lei Maria da Penha nele!!!!”; “Nem parece ser professor teria de ser exemplo para seus alunos mas isso esta fora de cojitação. Maxismo (sic)”, afirmavam alguns seguidores.

Outros saíram em defesa da atitude de Luan, contra o comentário do professor. “Falou algo errado, mas é um grande homem, sério e uma boa pessoa, quem o conhece sabe”; “Que absurdo… Eu teria imediatamente dito que ou ele se retirasse da sala ou eu enquanto cidadã e mulher sairia.. Isso é a mais alta agressão”.

A integrante do Diretório Estudantil (DCE) da PUC-RS, Paula Volkart, classificou a ‘piada’ de Fábio Melo como ‘misógina e machista’. “Depois disso, outras pessoas vieram até nós e relataram casos que aconteceram com o mesmo professor”, completou, em entrevista à Zero Hora.

No Facebook, ela questionou a ‘piada’: “A cada 4 minutos uma mulher é estuprada no Brasil. Você acha isso engraçado?”, escreveu ela.