Projeto da UFNB ignora Cansanção, Monte Santo, Euclides da Cunha e região de 257 mil habitantes

ufnbO projeto acadêmico da Universidade Federal do Nordeste da Bahia (UFNB) já foi concluído e será apresentado no dia 06 de fevereiro, em evento que acontecerá no auditório da UNEB, em Serrinha.

Ao longo dos últimos anos foram realizadas muitas reuniões e diversas audiências públicas para debater a criação da tão sonhada universidade Federal em uma das regiões mais pobres da Bahia.

Talvez estejamos sendo injustos, mas o que ficou evidente após a conclusão do projeto é que as questões geográficas e sociais para definir as cidades escolhidas para receber os campi da universidade foram ignoradas, o que prevaleceu mesmo foi à força política de cada município.

poloCidades próximas como Serrinha e Santaluz vão receber um campi cada, enquanto que municípios como Euclides da Cunha, Monte Santo, Itiúba, Cansanção, Queimadas, Quijingue e Nordestina que estão próximos geograficamente e juntos possuem uma população de 257 mil habitantes e todos os requisitos  para abrigar um campi da universidade foram ignorados.

As cidades de Alagoinhas, Esplanada, Serrinha, Santa Luz, Ribeira do Pombal / Cícero Dantas, Jeremoabo, Riachão do Jacuípe e Ipirá são apontadas como sedes dos campi da universidade. A sede da reitoria não está escolhida e será definida pelo MEC entre Alagoinhas, Pombal e Serrinha.

Em nota enviada a imprensa o deputado Joseildo Ramos destacou que o projeto, apesar de elaborado pela equipe da UFRB, é o retrato da mobilização popular em torno da criação da UFNB. “É um projeto feito por muitas mãos e que tem na sua essência os anseios de milhares de pessoas que participaram de mais de 20 audiências públicas em diversos municípios de nossa região”, pontua. Será deputado, se o projeto atende mesmo a todos os anseios?

Após apresentação pública, que deve contar com a participação dos reitores das universidades federais da Bahia, prefeitos, secretários e deputados, o projeto acadêmico será entregue pelo governador Rui Costa ao ministro da Educação, Cid Gomes.