“Quando acordei tinham 33 caras em cima de mim”, desabafa adolescente vítima de estupro

A adolescente de 16 anos que foi vítima de um estupro coletivo no Rio de Janeiro prestou depoimento e foi submetida a exames médicos nesta quinta-feira (26). O vídeo que mostra a menina sendo estuprada foi publicada por um rapaz no Twitter nesta terça-feira (24) e gerou revolta e mobilização na web.

Ela foi estuprada por cerca de 30 homens. Segundo o jornal O Globo, a menina passou a madrugada no Instituto Médico Legal e já foi ouvida na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que investiga o caso. O Ministério Público investiga o caso.

Ainda segundo a publicação, a menina contou que foi para a casa do namorado na última sexta e só acordou no domingo. “Quando acordei tinham 33 caras em cima de mim. Só quero ir para casa”, disse a menina, que tentou fugir do hospital.

RTEmagicC_Estupro_-_Twitter_01.jpg

Abalado e chorando muito, o pai da menina contou que o estupro ocorreu na última sexta-feira, no Morro São João, em Praça Seca. “Ela foi num baile, prenderam ela lá e fizeram essa covardia. Bagunçaram minha filha. Quase mataram ela. Estava gemendo de dor. Ficou tão traumatizada que só conseguia chorar”, disse.

Em entrevista à rádio CBN, a avó da menina disse ficou chocada com o vídeo. “O vídeo é chocante, eu assisti. Ela está completamente desligada. Ela tem umas coleguinhas lá, mas nessa hora nenhuma apareceu”, disse.

Estupro na internet

No vídeo, o rapaz aparece fazendo piada enquanto a garota nua tem os seios e os órgãos genitais expostos. “Amassaram a mina, intendeu ou não ou não intendeu? Kkk” (sic), faz piada.

Após a repercussão, usuários alertaram para a divulgação do vídeo. “Gente, sobre esse vídeo de estupro circulando: Não vejam. Não espalhem. Só expõe mais a menina. Denunciem”, escreveu uma internauta. A conta do rapaz foi cancelada na manhã desta quarta-feira (25). Ele não foi identificado. Outros dois jovens são suspeitos de participar do crime. (Com informações do Correio24Horas)

Locais para denúncia de estupro e abusos na internet: