Quatro bandidos morrem e 14 são presos em operação policial em Feira de Santana

97892-3Prosseguindo com a operação de combate a criminalidade em Feira de Santana, a Polícia Civil realizou diligências no bairro Aviário no final da manhã desta quinta-feira (31) com o objetivo de prender suspeitos de envolvimento em homicídios e tráfico de drogas.

Os policiais foram recebidos a tiros e houve um intenso confronto, que resultou na morte de quatro suspeitos que morreram a caminho do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). Os homens foram socorridos pelos policiais.

Até o momento foram identificado apenas Leandro Alves Figueiras, o “Léo Zarpinha”, 34 anos, que morava no bairro Aviário, e o suspeito de prenome Lucas.

A operação

A operação da Polícia Civil envolveu 138 policiais, 23 viaturas e 25 delegados, cumpriu 21 mandados de prisão em Feira de Santana, que resultou na prisão de 14 pessoas e apreensão de um menor. De acordo com a polícia, todas as prisões foram motivadas por envolvimento em homicídios e tráfico de entorpecentes. Com as prisões, 12 homicídios foram elucidados.

Foram presos: Rafael Bispo de Oliveira (Rafa do Mel), 19 anos; Lucas dos Santos Silva, 19; Mauricio de Jesus Bispo (Titela), 19; Lucivaldo Freitas de Almeida Junior (Binho Mangangá) 19; Maicon Reis Cardoso (Maik) 19; Marcos Vinicius da Conceição Mota, Gearlisson Jesus (Geali) 20; Marcos Pedro Nascimento da Silva (Pedrinho) 18; Marcelo Santos de Jesus (Simão) 29; Wilson Santos Moraes (Gui) 23; Emerson da Silva Lima (Bida), Gutemberg Santos Costa e Nelson dos Santos.

Vítimas

A polícia também divulgou os nomes das vítimas de homicídios, que tiveram as autorias identificadas.Erivaldo dos Santos Vieira (Vaquinha); Danilo Silva Avelino Machado (Coelho); Renata Nascimento de Jesus; Edsoney Ribeiro dos Santos (Binho); Arenilton da Silva; Jamerson Bispo Suzarte; Ricardo da Silva Nascimento; Francinaldo de Jesus Santos; Willian Fiuza dos Santos; Rafael Ribeiro da Silva; Ítalo Santos Oliveira e Rogério Oliveira de Jesus.

As informações e fotos são dos repórteres Aldo Matos e Ed Santos/Site Acorda Cidade