Renomado cantor sertanejo é investigado na Bahia por exploração sexual

    IMAGEM_NOTICIA_3O cantor Marcelo, da dupla João Lucas e Marcelo, está sendo investigado pela Polícia Civil da Bahia por exploração sexual e favorecimento a prostituição, crimes baseados no artigo 244 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). O caso foi aberto na madrugada desta sexta-feira (5) pelo tio de uma garota de 14 anos, que registrou boletim de ocorrência de abuso sexual contra o sertanejo por, segundo ele, ter cometido abuso sexual em sua sobrinha no quarto de um hotel em Barreiras (BA), onde os cantores se apresentaram pouco antes.

    A informação foi confirmada ao Portal Terra pelo delegado de polícia Dr. Francisco Carlos de Sá, responsável por registrar a denúncia. A investigação tem até 30 dias para concluir o inquérito e enviá-lo ao Ministério Público, a quem cabe abrir ou não a denúncia para levá-la a julgamento. A garota, cujo nome não foi revelado, confirmou ao delegado ter ido ao quarto de hotel de Marcelo, onde permaneceu por cerca de 40 minutos, mas negou o abuso. Em suas palavras, no local ela teria trocado carícias com o cantor, que apalpou seus seios e nádegas.

    Depois, a jovem, que completa 15 anos neste sábado (6), tirou a blusa e ficou apenas de sutiã. Neste momento, o sertanejo, já excitado, tomou um banho, retornou ao dormitório apenas de toalha e pediu a ela para pegar em seu pênis. As carícias permaneceram até o momento em que ela decidiu ir embora, por “insegurança”. Ela afirmou não ter feito sexo oral, tampouco mantido uma relação com penetração. Ainda assim, foi submetida a exame de conjunção carnal no IML (Instituto Médico Legal). O resultado sai em até 15 dias.

    A dupla João Lucas e Marcelo ganhou atenção da mídia no ano passado com os hits Eu quero Tchu, eu quero Tcha e Louca Louquinha, grandes sucessos do sertanejo universitário. Segundo o delegado, eles viajaram a Goiânia e devem prestar depoimento no “no momento adequado”. A investigação ainda será embasada na análise de vídeos da segurança interna do hotel e depoimentos de funcionários. (Bahia Notícias)