Riachão entra em alerta com grande aumento de casos de chikungunya

medicina-dengue-aedes-aegypti-20140519-012-size-620Com o alerta e a insegurança da população por conta do frequente aumento da incidência da febre chikungunya na cidade de Riachão do Jaucípe, distante 186 km de Salvador, autoridades locais se reuniram na quinta-feira (22) para debater a forma de combate e prevenção da doença. Até o meio dessa semana, segundo dados técnicos, haviam sido notificados 739 casos suspeitos, com oito confirmados por critério laboratorial, 199 casos por critério epidemiológico e 532 encontrava-se em investigação. Os bairros jacuipenses que lideram os registros dos casos suspeitos são Barra do Vento (121), Bela Vista (52), Centro da cidade (33) e Alto do Cruzeiro (11). O encontro foi organizado pelo ex-secretário de Saúde de C. do Coité e deputado estadual eleito Alex Lopes (PMDB), conhecido por Alex da Piatã. O peemedebista, representante da região, articulou o debate com a prefeita Tânia Matos (PDT), a secretária municipal de Saúde Daniela Carneiro, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Edna Carneiro, além de representantes da vigilância sanitária, vereadores, agentes de saúde e do padre Alexandro Nonato. Mesmo os números oficiais apontarem um estado alarmante, as autoridades acreditam que o nível de infecção pode ser maior e famílias inteiras sofrem da febre e não procuram os médicos, na maioria dos casos, por desinformação. Eles temem que a chikungunya possa se proliferar nos municípios e distritos circunvizinhos. O deputado justificou que a iniciativa da conversa foi dimensionar a gravidade do assunto e promover ações que possam combater e impedir a regionalização da chikungunya. Alex contou da experiência a frente como secretário de Saúde no enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti, pois o município vivia uma epidemia de dengue e foram realizados mutirões, uma força tarefa da sociedade e governo, obtendo um bom resultado. “A sugestão é que possamos fazer isso aqui em Riachão também”, propôs. “A situação é muito preocupante e todo cuidado é pouco no combate. O governo do estado deve está junto com a Prefeitura neste momento até porque os municípios estão passando por muitas dificuldades”, completou em entrevista ao site Calila Notícias. Ficou acertado um ato de conscientização e mobilização da sociedade para o combate febre chikungunya e um mutirão no Bairro Barra do Vento com data ainda a ser amplamente divulgada. “É prioridade para mim cuidar da saúde de nosso povo, pois estou muito preocupada com os rumos que vem tomando esta doença em nossa cidade, é um fato preocupante, mas vamos conseguir vencer mais esta batalha”, afirmou a prefeita de Riachão.

SESAB – No fim da reunião chegou a cidade uma equipe da secretaria de Saúde (Sesab) para traçar metas e planos para um combate mais efetivo do vírus e promover mutirões de limpeza com os agentes. A superintendente de vigilância e proteção à saúde do estado da Bahia, Ita de Cunha, disse que a Sesab está à disposição para ajudar o município no combate a epidemia. “Vamos disponibilizar um veiculo para ficar a disposição de uma equipe que será especifica no combate aos focos que surgirem e combate aos que já existem. Será uma ação de grande impacto para que possamos tirar Riachão do Jacuípe dessa situação. A cidade já conta com uma médica treinada e capacitada com uma equipe da saúde do Estado, teremos outros médicos também se capacitando e este projeto será um piloto para outras cidades da região”, concluiu.

Balanço – Outras informações do balanço dão conta que a suspeita doença atingiu 189 pessoas com idades variantes entre 20 a 34 anos, 171 na faixa etária de 35 a 49 anos e 126 entre as pessoas de 50 a 64 anos. Durante o período que a doença vem se alastrando, o maior número de notificação ocorreu na segunda semana de dezembro onde foram notificados 141 casos. O primeiro caso notificado no município foi em setembro de 2014 e teve com vitima a ex-secretária de saúde Maria Jussara e este ano foram notificados 252 casos suspeito em 12 bairros.