Secretários discutem com comunidade redução de uso de água da barragem de Ponto Novo

    Os secretários estaduais da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, e do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, acompanhados pelo superintendente de Irrigação (Sir) da Seagri, Marcelo Nunes, e pela diretora de Águas do Inema/Sema, Maria Amélia de Coni e Moura Mattos, reuniram-se na última sexta-feira do ano (28) com produtores do Distrito de Irrigação de Ponto Novo, para discutir a redução do uso de água das barragens de Ponto Novo e Pindobaçu que, por falta de chuva na cabeceira do rio Itapicuru-Açu, estão em nível crítico. Centenas de produtores, vereadores, empresários e prefeitos participaram da reunião.

    Para garantir o consumo humano e a manutenção de cerca de cinco mil empregos diretos e indiretos gerados pelos produtores do distrito, os secretários informaram que a partir de janeiro o fornecimento de água para irrigação será reduzido de 12 horas/dia para 4 horas dias. “A legislação ordena que a prioridade seja o consumo humano e, se não chover até o final de janeiro, em fevereiro a água será destinada apenas ao consumo humano”, explicou Maria Amélia, depois de apresentar os estudos e monitoramento das barragens realizados ao longo do ano de 2012. “Sabemos que com essa redução haverá perda de produtividade, mas 4 horas/dia de irrigação atende a necessidade hídrica da planta, mantendo os empregos gerados com a produção, principalmente de banana, maior atividade do distrito”, disse Marcelo Nunes, superintendente da Sir.

    “Essa é uma notícia que não gostaríamos de trazer, mas a barragem de Ponto Novo chegou ao limite, e não há outra alternativa”, disse o secretário Eduardo Salles. Ele lembrou as ações que estão sendo realizadas para reativar o pivô central, para produção de feno, e as negociações com a Casa Matias, mais importante queijaria de Portugal, para a implantação de um laticínio em Ponto Novo para produção de queijos amanteigados, com leite de cabra e ovelha.

    “Acompanhamos durante todo o ano o trabalho e os esforços do governo, através das secretarias da Agricultura e do Meio Ambiente para garantir o abastecimento de água e a produção”, afirmou Fábio Régis, proprietário do Sítio Barreiras, que produz banana e é responsável pela geração de mais de mil empregos, acrescentando que “a decisão do governo está sendo tomada como muita consciência e equilíbrio”. O prefeito eleito de Ponto Novo, Adelson Carneiro, solidarizou-se com os secretários, e afirmou que a prefeitura do município estará de portas abertas para os produtores, trabalhando em sintonia com o governo do Estado.

     

    ....

    COMPARTILHAR