Servidores do Judiciário baiano em greve por tempo indeterminado

20150802083928Desde a última quinta-feira (30), os servidores do judiciário da Bahia cruzaram os braços em virtude à greve deflagrada pela categoria na última assembleia realizada no dia 29/07. O protesto é contra direitos adquiridos pelos servidores e que não estão sendo pagos pelo presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, como a última parcela do Plano de Cargos e Salários da Categoria no percentual de 5%, a reposição inflacionária de 6,41% retroativo a março, pagamento da GAE dos oficiais de justiça, CET, VPE/GEE para todos, e o pagamento das substituições.

Fazem parte do comando de greve da capital, os diretores do Sinpojud, enquanto que no interior, os delegados sindicais regionais das Comarcas ficam responsáveis pelo comando do movimento paredista. A greve é por tempo indeterminado e deve ter adesão dos servidores em todo o estado. Funcionando apenas 30% do efetivo correspondente ao plantão judiciário.

A Diretoria Executiva do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia – Sinpojud informou através de nota que para 7 mil servidores há 1.666. 505 processos, ou seja, para cada servidor há uma média de 150 mil processos. O que se torna humanamente impossível, por sua vez, não oferece condições dignas de trabalho a seus servidores para que estes possam prestar um serviço mais célere à sociedade baiana. Além disso, tem se ausentado no cumprimento de direitos já adquiridos por lei pela categoria. No dia 07/08, às 9 horas a categoria se reunirá em Assembleia Extraordinária, no Ginásio de Esportes dos Bancários (Ladeira dos Aflitos/Centro).

As principais revindicações são:

• Pagamento do reajuste linear 2015 no percentual de 6,41%, com retroativo a março;
• Pagamento do percentual de 5% referente a última parcela do Plano de Cargos e Salários da Categoria;
• Pagamento da Gratificação de Atividade Externa dos oficiais de justiça;
• Pagamento das substituições;
• VPE/GEE para todos.