“Sinto uma dor imensa no peito”, diz mãe de menina violentada pelo próprio pai na Bahia

80b5a1cewv_8mmeq4321u_fileRaiva, ódio, mágoa e dor. Assim, Maria das Graças de Deus Santos, 33 anos, descreve os sentimentos que tomam conta dela após descobrir o crime cometido pelo companheiro, com quem vivia há 15 anos. Gildásio Santos da Silva, 40, abusava sexualmente da filha adolescente do casal. Ao descobrir o fato, a mulher não pensou duas vezes e denunciou o acusado.

Graça contou que já sofreu muito em todos os anos de convivência com as agressões de que era vítima, mas acabava perdoando o marido. A mulher disse que ele chorava e jurava que não voltaria a agredi-la, e ela sempre acabava perdoando, por isso se sente culpada com o que aconteceu com a adolescente de 13 anos. “Tenho muita raiva, ódio, muita mágoa. Eu perdoei ele, continuei a viver com ele. Me sinto culpada, sinto uma dor imensa no meu peito” disse.

O homem foi preso acusado de abusar da própria filha no bairro de Itinga, em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. A mãe da menina contou que flagrou o marido completamente nu, ao lado da cama da filha, no meio da madrugada. A mulher disse que acordou no meio da noite e não viu o acusado na cama. Foi ao quarto da filha e encontrou o marido “Olhei para ele e me assustei, e ele disse que o filho de três anos tinha levantado e que ele tinha ido levar o menino de volta, o menino dormia com a irmã no quarto. Ele se levantou escondendo a parte intima, foi para a sala e sentou no sofá para assistir televisão.

Graça afirmou que perguntou para o homem se ele estava mexendo na filha. Ele negou, chamou a adolescente para ela dizer que não havia sido molestada. “Eu fiquei com aquela sensação ruim até o dia amanhecer. Ele se arrumou e saiu para o trabalho. Eu chamei ela e perguntei: venha cá minha filha, seu pai estava mexendo em você? E ela balançou a cabeça dizendo que sim. Nossa, meu mundo desabou”

O homem está preso na 27ª DT (Delegacia Territorial), mas no dia 10 de maio completa um mês acaba o prazo da prisão preventiva. A mulher teme pela segurança dela e da filha, pois fica com medo de que Gildásio Santos da Silva e o irmão dele tentem se vingar. Segundo a mulher, após a prisão do marido, o irmão dele, que já esteve preso por roubo e assassinato, comentou com uma vizinha que ia “correr atrás” para tirar Gildásio da cadeia e ia “dar um susto” nela.

Por: Portaldenoticias.net (Com informações do R7/BA)