Torcida holandesa vai invadir a Bahia

netherland-girls-500-1Em 9 de maio de 1624, com objetivos puramente bélicos, 3,4 mil holandeses desembarcaram no Farol da Barra, em Salvador. Armados até os dentes, tomaram a cidade, prenderam o governador-geral e administraram a capital por um ano inteiro.

Quase 400 anos depois, com objetivos puramente festivos, cinco mil holandeses vão promover uma nova invasão à cidade da Bahia. Armados com perucas laranjas, instrumentos musicais, vuvuzelas e muita alegria, os loirinhos e loirinhas de olhos claros devem promover a maior gandaia gringa entre todos os estrangeiros que aqui vão chegar para a Copa do Mundo.

A investida, já batizada de Praça Laranja, vai ocorrer no dia do jogo contra a Espanha, dia 13 de junho. Local? Terreiro de Jesus, Centro Histórico. O evento será aberto a quem quiser chegar. A concentração começa cedo, às 8h (para um jogo que, imagine!, é só às 17h), e terá atrações musicais locais e DJs holandeses até depois da partida na Fonte Nova.

“Vamos nos misturar com os baianos. Vai ser uma grande festa aberta”, avisa o cônsul da Holanda em Salvador, Egbert Bloemsma, que organiza o encontro junto com a federação de futebol e líderes de torcida holandeses. “Aproveitaremos a estrutura do São João do Pelô para fazer uma festa organizada”, revela. Para se virar em Salvador, um book com mais de 60 páginas sobre o país da Copa será distribuído pelo consulado aos estrangeiros.

10121_0525Cheios de Fúria, como sua seleção é chamada, os adversários dos holandeses vão estar estrategicamente posicionados no litoral. Boa parte dos seis mil espanhóis que virão a Salvador vai se concentrar, claro, no Clube Espanhol, que reabre oficialmente depois de quatro anos em reforma, exatamente no dia da partida.

A festa já começa no café da manhã. À tarde, um palco com telão apresentará shows e o jogo para quem não for à Arena ver Iniesta e Xavi. “Estaremos abertos a sócios do clube, autoridades e espanhóis que estarão em Salvador”, convoca Humberto Campos Peso, diretor do clube. O local pode abrigar 3,5 mil pessoas.

França x Suíça
No caso dos franceses, a invasão é azul, ou Bleue, em bom francês. A “Casa Bleue”, organizada pela Federação Francesa de Futebol, será instalada no Rio Vermelho, no Largo da Mariquita. Funcionará na véspera de França x Suíça, em 20 de junho, no dia do jogo e no dia seguinte. São esperados quase três mil franceses em Salvador, sendo que o espaço consegue abrigar 500 torcedores.

“Será um local festivo onde os torcedores da França poderão se reunir e assistir à partida em telões”, explica Elena Tonev, conselheira de imprensa da Embaixada da França no Brasil. “Vamos ter música típica, apresentação de grupos locais e a presença de jogadores internacionais”, confirma Pascaline Meunier, gerente da empresa que organiza a festa, que ainda não se sabe se será aberta ou fechada.

Os suíços, por sua vez, vão ter a Casa Suíça, na Federação, para assistir aos jogos. Aos que vão à Fonte Nova não está programada concentração. “O povo suíço não tem essa mentalidade de se reunir. Na verdade, um suíço está sempre evitando o outro”, brinca o ministro da Embaixada suíça, Jean-Pierre Reymond. Para os cinco mil viajantes, ainda que separados, será entregue um panfleto com informações do Brasil.

Alemanha x Portugal
No caso dos fãs de Cristiano Ronaldo, haverá dois momentos para festejar. No dia 15, véspera do jogo contra a Alemanha, um coquetel para 400 convidados será realizado na Associação Comercial da Bahia, no Comércio. No dia 16, uma espécie de Fan Fest portuguesa ocorre no restaurante Amado, na Contorno. Essa concentração também será para convidados. No dia do jogo, os portugueses vão lotar os dois restaurantes em frente à Arena Fonte Nova. Serão 4,5 mil no total.

“Será nosso ponto de encontro”, revela o português Antônio Coradinho, que organiza as festas. “Temos um grande entrosamento cultural e a facilidade da língua”, diz o cônsul José Manuel Lomba.

O Goethe Institute ou Instituto Cultural Brasil-Alemanha (Icba) vai reservar o pátio para o encontro dos fãs de Schweinsteiger e Ozil. E não só para eles. Os telões vão transmitir 19 jogos da Copa. Junto com os visitantes, os alemães residentes em Salvador devem lotar o espaço para 200 pessoas. “Os que não tiverem ingressos vão ficar por lá”, acredita Wiebke Kannengiesser, responsável pela programação cultural do Icba. A Alemanha também terá uma embaixada móvel para os mais de seis mil torcedores que virão a Salvador. Do dia anterior até o dia seguinte ao jogo contra Portugal, uma van vai ficar estacionada na Praça da Sé. Ali estarão dois representantes consulares da Embaixada e da Federação de Futebol da Alemanha.

A Embaixada do do Irã no Brasil não enviou informações sobre como serão recebidos os seus compatriotas em Salvador. A Bósnia sequer tem Embaixada no Brasil, mas há a possibilidade da criação de um consulado especial. De uma forma ou de outra, eles também vão invadir nosso território e cair na festa.

Fonte: Correio 24 Horas