Vai derrubar a república?: Chefão da Odebrecht aceita fazer delação premiada

2015-825274308-2015061528638.jpg_20150615O que a alta cúpula do PT mais temia, acabou se tornando realidade. O presidente da empreiteira Odebrecht, Marcelo Odebrecht, aceitou firmar acordo de delação premiada com os investigadores da Operação Lava Jato.

A informação foi divulgada pela própria empresa, em nota enviada à imprensa na noite desta terça-feira (22). No texto, a construtora informa que, após “avaliações e reflexões levadas a efeito por nossos acionistas e executivos”, decidiu firmar o acordo de delação.

Além de Marcelo, todos os outros executivos da empresa devem firmar acordos de delação. A Odebrecht lembra ainda que já há em curso um acordo de leniência com a Controladoria Geral da União. “Esperamos que os esclarecimentos da colaboração contribuam significativamente com a Justiça brasileira e com a construção de um Brasil melhor”, defende a empresa. “Apesar de todas as dificuldades e da consciência de não termos responsabilidade dominante sobre os fatos apurados na Operação Lava Jato – que revela na verdade a existência de um sistema ilegal e ilegítimo de financiamento do sistema partidário-eleitoral do país – seguimos acreditando no Brasil”, completa o texto.

Em meados do ano passado logo após a prisão de Marcelo, segundo reportagem da revista Época, seu pai Emilio Odebrecht fez sérias ameaças ao governo “Terão de construir mais 3 celas: para mim, Lula e Dilma”, disse. A mesma reportagem destacou que Marcelo sabe tanto que sua delação premiada pode ser capaz de derrubar a república.