Vereador é acusado de estupro no interior da Bahia

DSC_0183Um vereador do município de Itapetinga, no Sudoeste do Estado, está sendo acusado de tentativa de estupro contra uma mulher de 35 anos, com quem teve um relacionamento amoroso por mais de quatro anos. Eliomar Alves Barreira, 38, mais conhecido por “Tarugão”, do PRP, foi denunciado à Polícia Civil local pela mulher, que teve a identidade preservada.

Em entrevista ao site Itapetinga Repórter, a vítima disse que rompeu o relacionamento amoroso com o vereador após descobrir que ele tinha uma outra mulher, com quem tem uma filha. A separação aconteceu há aproximadamente um ano, porém o vereador não aceitou o fim do relacionamento e passou perseguir a mulher.

A reportagem teve acesso ao documento encaminhado à Justiça local. Nele, a revendedora de cosméticos declara que o vereador tentou manter relação sexual contra sua própria vontade. O requerimento de medidas protetivas de urgência foi entregue na última segunda-feira, pelo advogado da vítima. Veja um trecho do documento:

“Eliomar insistiu em manter relação sexual com a declarante e quando esta não aceitou; Eliomar masturbou-se em sua frente, chegando a ejacular nesta. Que as investidas de Eliomar continuam, pois ele sempre vai à porta da casa da declarante insistindo em falar com esta, também querendo ter relação sexual com a declarante. Solicita a esta autoridade medidas cabíveis que o caso requer”.

Procurado, o vereador negou as acusações e atribui a ‘armação política’ as denúncias da ex-namorada. “É tudo armação política. Isso aí é um absurdo, ela tem problemas psicológicos gravíssimos. Terminei com ela e preferir ficar com uma menina de Itororó, que eu tenho uma filha, e ela disse que iria mim perseguir, mim prejudicar. Quando eu mim afastei, ela teve essa oportunidade, não entrei na casa dela. Outra coisa, tem duzentas, trezentas mulheres, se eu quisesse”, disse o vereador.

Ainda segundo Eliomar, ele vai processar a mulher. “Meu advogado está derrubando a medida protetiva e eu vou entrar contra ela (a vítima) por danos morais. Eu não fiz nada com ela. Por que só depois de dois meses uma acusação dessa? É um negócio mais político do que pessoal. Eu sou um cidadão que não represento nenhum perigo a nenhum cidadão itapetinguense. Vou entrar pesado por danos morais”, concluiu.

“Tarugão” foi chamado duas vezes para ser ouvido na delegacia, mas não apareceu. De acordo com o vereador, na primeira oportunidade a intimação não chegou em suas mãos e na segunda um familiar ficou doente. O caso está sendo investigado.

(Bocão News)