Apreensão recorde de cocaína ajuda a desvendar rota do tráfico de São Paulo para a Bahia

    150

    Os 33 quilos de cocaína localizados pelo Departamento de Narcóticos (Denarc) no Vale dos Rios em Salvador fazem desta a maior apreensão da droga este ano na Bahia, segundo a Polícia Civil divulgou nesta sexta-feira (23). A droga foi encontrada na casa de Elio de Jesus Matos, 32 anos, no Conjunto dos Bancários, depois de investigação feita no bairro da Engomadeira. A cocaína estava em 33 tabletes de 1 kg cada – segundo Elio, líder do esquema, comprados em São Paulo por R$ 330 mil.

    A droga foi trazida para a Bahia dentro de veículos transportados por caminhões-cegonha. Já em terra baiana, a quadrilha arrecadaria R$ 480 mil revendendo a cocaína na região da Engomadeira. As investigações da Polícia Civil mostraram que Elio levava uma vida de luxo em Salvador. Para justificar seu alto padrão de vida, ele dizia ser proprietário de uma frota de táxi.

    No estacionamento da casa onde Elio mora com a companheira Jacira Jandira de Santiago Santos, 32 anos, foram apreendidos um Vectra prata e uma moto Honda, além de três táxis modelo Corsa e um táxi modelo Cobalt. Os taxistas que saiam com esses carros eram usados por Elio para transportar integrantes da quadrilha pela cidade, mas não sabiam que os clientes eram traficantes, segundo a polícia.

    Na casa de um dos traficantes da quadrilha, Adilson Almeida da Rocha, no Jardim Cruzeiro,  a polícia encontrou R$ 73 mil e uma pistola 380. Já o braço direito de Elio, Eduardo Cruz dos Santos, 33, foi preso na Boca do Rio.Foram oito meses de invesitgação na região da Lajinha, na Engomadeira – a Denarc cumpriu quatro mandados de prisão temporária e cinco de busca e apreensão.

    Vida de luxo
    Durante a investigação, que contou até com policiais infiltrados na Lajinha, se descobriu que a quadrilha comprava a droga direto do fornecedor em São Paulo. Veículos comercializados pelo bando em SP eram usados para ocultar a droga quando eram trazidos para Salvador de caminhão-cegonha.

    “A cocaína vinda de São Paulo percorria várias rodovias sem chamar a atenção da fiscalização policial. Na Bahia, os veículos eram entregues aos clientes, entre os quais integrantes do bando aqui liderado por Elinho”, disse o diretor do Denarc.

    Com o dinheiro do tráfico de drogas, Elio levava uma vida de padrão alto. Segundo a Polícia, ele chegou a contratar para comemorar seu aniversário 20 garotas de programa para diversão dos convidados. A festa foi em uma suíte de motel alugada por ele. No dia à seguinte à festa, ele levou amigos, muitos deles traficantes, para um passeio de escuna pela Baía de Todos os Santos – novamente com a presença de garotas de programas.

    A polícia busca identificar outros membros da quadrilha.

    ....

    Veja Também

    COMPARTILHAR