Bolsonaro cresce em nova pesquisa e Lula fica estável

Pesquisa Ipespe divulgada nesta quarta-feira (6) mostra que o Presidente Jair Bolsonaro encurtou ainda mais a distância para o ex-presidente Lula (PT).

O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 30%. Lula manteve a mesma intenção de votos da pesquisa anterior do Ipespe, divulgada em 25 de março que foi 44%.

R
Foto reprodução

Já Bolsonaro subiu quatro pontos percentuais – ele tinha 26% no último levantamento. A variação ficou acima da margem de erro, de 3,2 pontos percentuais.

A pesquisa divulgada foi a primeira do instituto após o ex-juiz Sérgio Moro anunciar a desistência, neste momento, de sua pré-candidatura à Presidência.

A seguir aparecem o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 9%, e o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%. A senadora Simone Tebet (MDB) tem 2%.

O deputado federal André Janones (Avante) registrou 1%.
Eymael (DC), Felipe d’Avila (Novo) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram.

Brancos, nulos ou que não votariam em nenhum dos candidatos somam 9%. Indecisos representam 3% dos entrevistados.

Foram ouvidas 1.000 pessoas por telefone entre 2 e 5 de abril.
A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-03874/2022.

A margem de erro máximo estimada é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5%.

Os percentuais que não totalizam 100% são decorrentes de arredondamento ou de múltiplas alternativas de resposta.

O cientista político Antônio Lavareda, do Ipespe, ainda chama atenção para outras duas conclusões importantes da pesquisa divulgada hoje. Para ele, a saída de Moro “foi o maior presente, até o momento para a pré-campanha de Bolsonaro.

O presidente ganhou dois pontos na pesquisa espontânea e quatro pontos na pesquisa estimulada. “Há muito não se via nas intenções de voto do primeiro turno um movimento tão vigoroso em intervalo tão vigoroso em intervalo tão curto”, aponta Lavareda.

Na intenção de voto espontânea, Bolsonaro cresceu de 25% para 27%, enquanto Lula permanece com 36% dos votos. Na intenção de voto estimulada, o atual presidente avançou de 26% para 30% das intenções de voto. O petista manteve os 44% que já tinha em março.