Conceição do Coité: Viola produzida da flecha do Sisal é destaque a nível nacional

001Por mais de 50 anos o sisal, planta nativa do semiárido brasileiro, é destaque por seu leque de funcionalidade ligado a economia do interior baiano. Um grupo da cidade de Conceição do Coité, distante 224 km de Salvador, encontrou um novo artifício: produzir instrumentos musicais. A Orquestra Santo Antônio, responsável por um projeto social voltado para jovens e adolescentes, no bairro coiteense do Alto da Colina, foi destaque na edição do “Como Séra?”, programa apresentado por Sandra Annemberg nas manhãs de sábado da Rede Globo de televisão.

O maestro Josevaldo Silva, conhecido por Nim e mentor do projeto e da Orquestra, teve a ideia de transformar a flecha do sisal, uma das matérias-primas, em instrumentos musicais. “A economia de Conceição de Coité foi baseada, durante muito tempo, no plantio e cultivo do sisal. Ele representa a cultura da cidade”, explicou o músico na reportagem.

Há alguns meses, depois de fazer uma viagem ao Jalapão, no Tocantins, e ver um viola feita de buriti, Josevaldo levou a ideia para a Bahia. Atualmente, ele ensina os jovens a fazer e tocar o instrumento, mostrando que o sisal pode ir muito além do que se vê nas plantações. A ação faz parte do projeto “O Som do Sisal”, que já realizou diversas apresentações pela Bahia. Recentemente, o secretário de cultura do estado, Jorge Portugal, assistiu uma das apresentações dos jovens músicos. Eles, inclusive, presentearam o secretário com o instrumento criado pelo grupo: a viola de sisal. (Reprodução Bocão News)