Dona de casa perde memória após parto, em caso raro na medicina

Um raro caso médico comoveu a Inglaterra nesta semana. Numa pequena cidade do país cujo nome não foi divulgado, uma mulher sofreu uma forte reação ao receber uma dose de analgesia epidural para aliviar as dores do parto, logo após dar à luz ao seu segundo filho. Por uma razão ainda desconhecida, os médicos constataram que Bernardette Strange, de 35 anos, havia contraído um incomum tipo de meningite, cientificamente chamado de chstreptococcus salivarius. As consequências, logo em seguida, foram mais graves: internada em coma induzido, a paciente também foi diagnosticada com amnésia. Ela não tinha ideia de onde estava, quem era tampouco que havia dado à luz.

bernardette strange

“Às vezes eu lembrava do meu nome ou que estava no hospital. Outras vezes, voltava à estaca zero, sem saber nada”, disse ela ao portal de caridade “Meningitis Now”, ressaltando que demonstrou um comportamente agressivo nesse período. Transferida para uma enfermaria especializada em demência, a mulher obteve uma melhora significativa em apenas 10 dias de tratamento.

“Ninguém sabia se minha memória retornaria. Eu ficava falando um monte de bobagens. Para mim, era muito confusa a distinção entre o real e o irreal”, recordou a Bernardette, sem deixar de frisar que demorou a acreditar no nascimento do novo filho: “ Definitivamente, não tinha outro bebê. Era isso o que eu achava! Quando meu marido me mostrou as fotos de nascimento na câmera, finalmente acreditei que tivemos um novo filho. Senti como se tivesse ganhado na loteria!”.

Com o apoio da família, Bernardette recuperou grande parte da memória. Para ajudar a mulher a aprender sobre os dias que perdeu, o marido compôs um diário minucioso, com relatos escritos e fotografias. “Alguns meses depois, eu ainda me sentia bem mal por ter perdido as primeiras duas semanas de vida do meu filho. Mas o meu marido sempre fazia questão de lembrar que tivemos o resto de nossas vidas juntos”.

Hoje, Bernardete segue com uma rotina normal, cuidando dos filhos. A única sequela deixada pela doença é uma fadiga constante. “Fico cansada facilmente em determinados dias”, relata ela. O caso de meningite que ela adquiriu é tão raro que sua história se transformou num estudo de caso publicado em revistas especializadas em anestesia. “Eu sinto que devo minha vida aos médicos que cuidaram de mim. Se não fosse pela ação rápida das enfermeiras na maternidade, talvez eu não estivesse aqui para ver meus filhos crescerem”, afirmou.