Em entrevista ao Portal, missionário Ricardo Oliveira desabafa e diz que é inocente

    306903_2406395890072_205640645_nO Missionário Ricardo Oliveira Couto, ex-membro da igreja Assembleia de Deus Ministério Madureira de Cansanção, atualmente membro da igreja Batista Filadélfia de Itapetinga falou com o Portal por telefone no início da noite desta sexta-feira (22).

    Ricardo desabafou, disse está sendo vítima de calúnias inventadas pela ex-esposa  e contou sua versão sobre o que aconteceu:

    “Ela  me acusou de mantê-la em cárcere privado desde novembro de 2012, data em que nos casamos, porém isso não procede, pois testemunhas declararam que ela sempre vivia nas casas e até trabalhava em um salão de beleza como manicure no Bairro Camacã.  Nós nos conhecemos em Eunápolis em março de 2011 numa Igreja onde eu ministrava a palavra de Deus, namoramos e, dia 3 de setembro de 2011 ficamos noivos, em  14 de novembro nos casamos aqui em Itapetinga, a cerimônia foi realizada pelo Pastor Edmilson de Assis da Assembleia de  Deus Madureira, foi um culto marcado pela presença de   vários pastores da cidade, desde então tínhamos uma vida normal, ela sempre caseira devido ter vindo da zona rural, mas sempre saia quando tinha vontade, dormia até as 13:00 ou 14:00hs, “eu que fazia o almoço”. Até ai tudo bem, porém no sábado ela saiu meio dia de casa dizendo que iria ver um emprego, eu fiquei em casa,  por volta das 20:00hs ela voltou após de ter  visitado o Pr. Isaque da 2ª Igreja Batista congregação do Américo Nogueira, quando foi no domingo pela manhã as 07:30hs eu tive que ir na igreja onde congregamos para limpar o templo para um encontro de jovens, tranquei o portão e levei a chave comigo, pois eu sabia que retornaria logo e ela estaria dormindo como de costume, para não ter que ficar chamando achei melhor levar a chave comigo, por volta das 10:00hs da manhã estava retornando para casa quando ao chegar no Posto de Saúde da Nova, recebi uma ligação de um amigo vizinho que me relatou o que estava acontecendo em minha casa, carros de polícia e a família dela toda lá, ela mesma  declarou que era  mantida em cárcere privado.  Isso não procede, mesmo porque  na qualidade de servo de Deus não sou a favor de tal atitude. Ela chegou a dizer que eu a deixava  sem alimentação, sendo que era eu quem fazia o almoço, e pelo fato de não termos geladeira eu só comprava algumas coisas no dia e perto da hora do almoço para não estragar, ela disse ainda que eu a ameacei  com uma arma de fogo, mas isso foi mais uma mentira, pois ela ainda disse o nome do dono da arma que seria de um policial amigo meu, na mesma hora ele  foi chamado para esclarecer o fato. Sei das dificuldades que estou enfrentando, já sinto a ausência da família evangélica de Itapetinga, porém fui escolhido por Deus para pregar o evangelho pelo Brasil, porém minha esposa só veio destruir minha imagem” disse Ricardo Oliveira.

    Clique abaixo para ver a matéria anterior

    Ex-missionário da Madureira de Cansanção é acusado de manter esposa em cárcere privado