Euclides da Cunha: Lotérica com vencedores da Mega da Virada tem movimento triplicado

A casa lotérica Boa Sorte, localizada na cidade de Euclides da Cunha, a 315 km de Salvador, teve o movimento de clientes triplicado, nos últimos dias, depois que dois jogos feitos no local foram vencedores na Mega da Virada.

O estabelecimento é um dos dois pontos de jogos do munícipio, que tem 60 mil habitantes. Na Lotérica da Praça, que fica a alguns metros do local, um jogo saiu ganhador no mesmo sorteio.

Dos três vencedores de Euclides da Cunha, apenas um ainda não sacou o prêmio, que passa dos R$ 5 milhões. Além da cidade, outros cinco municípios baianos tiveram vencedores. São eles: Salvador (1), Feira de Santana (1), Mata de São João (1) e Valença (1).

Foto reprodução

De acordo com o dono da Lotérica Boa Sorte, João Lima Neto, de 37 anos, após a divulgação dos vencedores de Euclides da Cunha, até moradores de outras cidades passaram a fazer apostas no estabelecimento, na esperança de também ficarem milionários.

“O movimento praticamente triplicou depois do prêmio. Como as pessoas já têm a certeza de que o prêmio realmente sai, de que não é uma máfia, como algumas pessoas começam a propagar, a quantidade de pessoas aumenta muito. Inclusive, de outras cidades. Cidades próximas e outras nem tanto, como Salvador, que possuem lotéricas”, afirmou.

João Lima Neto conta que alguns desses jogos são feitos pelo Whatsapp. Segundo o empresário, amigos entram em contato com ele, enviam os números e o dinheiro e pedem para que ele faça o jogo. Contudo, após o sorteio da Mega da Virada, realizado no dia 31 de dezembro, ainda não houve ganhador no estabelecimento.

O empresário diz que o prêmio da Mega da Virada foi o maior já sorteado para o município. Antes disso, outros dois jogos tinham sido vencedores na lotérica Boa Sorte, em momentos distintos dos 40 anos do estabelecimento, mas não chegaram na casa dos milhões. A premiação recente aumentou a fama de “pé quente”.

João disse que ficou surpreso e muito feliz quando ficou sabendo que o prêmio da Mega da Virada tinha saído para dois dos seus clientes.

“Meu superintendente me mandou uma mensagem, me parabenizando, falando que a loteria realmente era uma loteria de sorte, que era pé quente. O engraçado é que eu tinha jogado, tinha feito um bolão, mas eu fiquei tão feliz, tão eufórico, de ter tido a premiação, que eu nem me preocupei em saber se eu tinha sido um dos vencedores. Então, foi uma sensação maravilhosa, ter trazido um prêmio para a cidade, que é carente. Pra mim é um motivo de muita alegria. Eu não ganhei o prêmio, mas fico feliz de ter sido o veículo para que outras pessoas ganhassem, e que transformasse a vida dessas pessoas”, contou.

Confusão

Um boato surgido logo após o sorteio da Mega da Virada, por conta de um bolão feito na cidade, que teria sido premiado, virou caso de polícia. Responsável pela aposta, o dono de uma academia de ginástica do município, Alan Cleberson, denunciou às autoridades ter sido vítima de ameaças, na última semana.

Também conhecido como Eron Fitness, de 39 anos, o empresário conta que a confusão começou depois que algumas das 88 pessoas com quem dividiu o jogo acreditaram que ele teria agido de má fé e ficado com o prêmio só para ele.

Na verdade, conforme Alan, o bolão acertou na quadra da Mega da Virada, que teve outros 303.857 ganhadores em todo o país. Cada um ficou com R$ 240,72, cada. O empresário disse que os participantes do bolão promovido por ele frequentam a academia da qual ele é dono.

“Todos que participaram do bolão têm as fotos dos comprovantes. Muitos conferiram e viram que nós acertamos a quadra e não a sena. Só que o pessoal fica nesse impasse dizendo: ‘Eron ganhou’. E eu não ganhei. Tenho minha consciência tranquila. Eu tenho como provar que nós não ganhamos. Espero que essas pessoas acreditem. Estou aqui para tirar qualquer dúvida”, disse o empresário.

Alan conta que estava fora da cidade quando o sorteio foi feito, no dia 31 de dezembro, e que ficou surpreso quando começou a receber ligações de pessoas perguntando pelo dinheiro.

Dono de academia, Alan Cleberson, disse que fez o bolão com frequentadores do estabelecimento — Foto: Alan Oliveira/ G1

As apostas foram feitas no dia 20 de dezembro, na Lotérica Boa Sorte. Segundo o empresário, todos os envolvidos no bolão receberam, no dia 22, fotos dos jogos. Mesmo assim, houve desconfiança.

Alan afirma que recebeu uma ligação no dia 3 de janeiro que o deixou intimidado. Com isso, o empresário procurou a Polícia Civil da cidade para fazer um boletim de ocorrência. O registro foi feito no dia 4 de janeiro.

“Eu registrei o BO [Boletim de Ocorrência], porque, como tem muita especulação em cima de uma pessoa, é o melhor a se fazer. Também postei o boletim no meu Facebook para mostrar para as pessoas”, falou Alan, que não deu detalhes sobre o que foi dito na ligação.

Alan já retirou o prêmio, que, dividido pelas 88 pessoas que participaram do bolão, rendeu R$ 2,72 a cada um. O empresário disse que segue trabalhando normalmente e atendendo aos integrantes do bolão na academia.

Fonte: G1/BA

....

COMPARTILHAR