EDITORIAL ANO II NUMERO 64 – NA PRISÃO OU NO MOTEL… BENFICA!

O clima festivo, de leveza e encantamento vivido por todo esse Brasil masculino nessa semana que passou, quando por um dia viveu as alegrias de poder abraçar e homenagear essa heroína que não é o personagem de um Dia Internacional da Mulher, apenas, mas de todos os dias do ano, fez com que, por um breve instante, o esquecimento afastasse da mente das pessoas os muitos problemas da saúde, educação e segurança que estão aí preocupantes e consolidados no nível nacional, além dos horrores que estão acontecendo no holocausto que flagela o território sírio, onde civis estão morrendo aos milhares.

As breves e rápidas comemorações de apenas um DIA DA MULHER, foram suficientes para se minimizar, também e temporariamente, os escândalos rotineiros da Lava-Jato, sempre marcados por muitos milhões de reais e o surgimento, quase sempre, de novos nomes envolvidos em cada processo investigado, ou anunciados alguns que toda a população já conhece e espera que alguma penalidade venha a acontecer, porque, caso nada aconteça, não valeu a pena essa parafernália toda que por vezes temos visto nas telas da TV, cada caso mais escabroso do que o outro.                                             .

O presente tema parece hilário, para não dizer quase grotesco, pela associação simbólica de prazeres tão divergentes entre PRISÃO e MOTEL. Mas, foi preciso que o Ministério Público do Rio de Janeiro descobrisse que o dinheiro fartamente surrupiado de tantas obras públicas, de empresas estatais e Fundos de Pensão, tem o poder milagroso de transformar aposentos da PENITENCIÁRIA DE BENFICA em quartos de Motel, para que viesse a público o lado ainda mais negativo do caráter desses indivíduos envolvidos nas prisões do Rio de Janeiro. Foi de lá que o ex-governador Sérgio Cabral teve de ser removido para a prisão de Pinhais, no Paraná, em razão de desfrutar de luxos e regalias em sua cela. Esse Motel dentro da prisão é a prova mais inequívoca, de que o “jeitinho brasileiro”, continua sendo utilizado para nossa vergonha!

Obviamente que trocar os passeios de lancha pelas belas águas do Rio, por uma prisão sem conforto, é uma maldade sem precedentes com esses bandidos do colarinho branco! Assim, para eles nada mais natural que colocar em prática os fartos conhecimentos adquiridos nos Doutorados da Escola da propina e da malandragem, para comprar os favores de funcionários carcerários corruptos de todos os níveis, transformando aquilo que seria o cumprimento de uma pena criminal, em uma simples temporada de férias, enquanto os seus advogados cuidam dos benefícios de esperados “habeas corpus”! Alimentação especial, celulares livres, televisão e acesso de mulheres especialmente convidadas, tudo parece surreal num país de prisões superlotadas e imundas, o que mostra à sociedade a realidade de um sistema prisional perverso!

Outro fato que ajudou no alheamento coletivo, foi o ocorrido no cenário político ou no campo das investigações, com a determinação do Ministro Luís Barroso, do STF, autorizando a “quebra do sigilo bancário” do presidente Michel Temer.  A relevância da decisão evidencia um lastro de esperança de que ainda há certa isenção no Judiciário para a apuração de irregularidades, mesmo que direcionadas ao Poder maior da República. Desconfia-se, contudo, depois daquele episódio dantesco da mala com 500 mil reais que parecia flutuar ao lado de um deputado que corria assustado, olhando para todos os lados, o qual, por coincidência era Assessor do Presidente da República, à época, e nada aconteceu até agora, é de se imaginar que, existindo os “laranjas” da vida, nenhum extrato da conta vai fornecer dados mais conclusivos.

As fotos que ilustram o tema exibem a imagem chocante de dois mundos que vivem juntos e misturados na prática dos ilícitos, mas muito distantes na hora de cumprirem a pena. Os valores de justiça precisam ser respeitados e igualitários, a fim de que o equilíbrio de uma sociedade mais justa seja alcançado.

Autor: Adm. Agenor Santos, Pós-Graduação Lato Sensu em Controle, Monitoramento e Avaliação no Setor Público – Salvador-BA.

 

Blog do Florisvaldo – Informação Com Imparcialidade –  11/03/2018

 

 

Comentários

7 Comments on EDITORIAL ANO II NUMERO 64 – NA PRISÃO OU NO MOTEL… BENFICA!

  1. Eden Lopes Feldman // 11 de março de 2018 em 09:48 // Responder

    Como estas imagens tem um significado expressivo, que nos remete a injustiça com que a sociedade trata seus problemas, fico estupefato que com todas as nossas mazelas sociais a cada dia observamos que as pessoas com real capacidade de enfrentar e procurar soluções da forma adequada se afastam do jogo político brasileiro. Não sei se perderam o interesse ou a esperança. Ou ambos. E as suas palavras nos descrevem com perfeição isto, Agenor.Quando você efetua a comparação dos dois mundos, das injustiças. Não só no Brasil. Mas na intolerância da guerra e do preconceito. E em especial contra a mulher, principalmente pelo machismo, crenças religiosas e até mesmo estranhos conceitos sociais. Falta muito para sermos seres humanos. Mas bastaria um pouco mais de respeito e solidariedade para atenuar estes flagelos.FOZ DO IGUAÇU-PR.

  2. FLÁVIO MENDONÇA.'. // 11 de março de 2018 em 10:19 // Responder

    Realmente você demonstra nesta crônica, com toda propriedade, que essa unidade prisional de BENFICA, evidencia um verdadeiro paradoxo. Contudo, entre outras coisas, que queremos para o futuro do nosso Brasil, que todos brasileiros sejam iguais perante a Lei e que todos esses canalhas envolvidos em processo de corrupção e lavagem de dinheiro, façam parte de uma infindável lista negra de pessoas inelegíveis com direitos cassados no mínimo, 20 anos. (Manaus-AM).

  3. ROBERTO ABBEHUSEN // 11 de março de 2018 em 10:20 // Responder

    Se houve (ou há) regalias nas prisões, certamente alguém está “pagando” pelas mordomias e alguém está recebendo pra “fechar os olhos”. A relação corruptor/corrupto está evidenciada aí. Não consigo ver quantas gerações serão necessárias pra reverter isso! (Salvador-BA).

  4. Florisvaldo Ferreira dos Santos // 11 de março de 2018 em 11:36 // Responder

    Caro Agenor, bom dia!

    Mais uma vez tenho que “tirar o chapéu” pela sua sensibilidade e o “dom” de repassar aos seus leitores através da escrita, mesmo em poucas palavras ou linhas, a compreensão do que ocorre no nosso país e até no mundo.
    Ainda bem que temos datas especiais como do Dia Internacional da Mulher, Carnaval e este ano em particular, a Copa do Mundo, par encobrir ou mascarar o lamaçal que se encontra Brasil.
    O que é visto e mostrado a todo instante, seria cômico se não fosse trágico, porem, no dia seguinte, continuamos a ver “tudo como dantes no quartel de Abrantes”.

    Parabéns!

    Florisvaldo F dos Santos

  5. Haja notícias do mesmo tema hein? Provavelmente teremos muito mais correto? E o tempo passa e nada muda até agora… Nada nos surpreende mais vindo de nossa política. Só para confirmar: NÃO TENHO PLANO “B”… Então, é torcer para que tudo não acabe em pizza. (S. Paulo-SP).

  6. Parabéns Agenor! Bate na ferida. Mas um dia quem sabe tudo muda! Ou não! (Irecê-BA).

  7. Eu procuro alimentar minha esperança a cada dia. O amor entre as pessoas tem que ser resgatado para mudar a energia do mundo. (Salvador-BA).

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. EDITORIAL ANO II NUMERO 64 – NA PRISÃO OU NO MOTEL… BENFICA! | Blog do Deusimar

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Curtir(1)Descurtir(0)