Fim dos privilégios: Bolsonaro manda cortar 20 mil cargos comissionados

Em evento para uma plateia de deputados e senadores recém-eleitos realizado na noite desta quarta-feira, em Brasília, o secretário de Gestão do governo, Paulo Uebel, anunciou que o presidente Jair Bolsonaro vai assinar nos próximos dias três decretos que visam enxugar a máquina e melhorar a situação fiscal do país. Entre as propostas está o corte de 20 mil cargos comissionados , segundo ele.

Ainda estamos fechando os números, mas a meta é essa mesmo (20 mil cargos) – garantiu.

xPaulo Uebel01.jpg.pagespeed.ic .JW6ee 8lp1
Paulo Uebel, secretário de Gestão Foto: Reprodução

Com a ajuda da Controladoria-geral da União, o governo também vai estabelecer, num segundo decreto, critérios objetivos para contratação no setor público. A ideia do governo é que cargos de confiança sejam ocupados por pessoal qualificado. Um terceiro decreto buscará estabelecer critérios mais rígidos para que órgãos e ministérios tenham autorização para realizar concursos públicos:

– Temos que ver se realmente o concurso é necessário ou se é coisa que remanejamento de pessoal, por exemplo, dê jeito.

O secretário da previdência, Rogério Marinho, também falou aos recém-eleitos sobre a “determinação” do presidente Jair Bolsonaro para que todos os segmentos da sociedade serão incluídos na reforma previdenciária e que os militares também vão “entrar no processo”.

Segundo Marinho, governadores de pelo menos oito estados já se dirigiram a Brasília para oferecer apoio à reforma e expor a situação fiscal dos seus estados.

– As finanças públicas se deterioraram e também teve uma deterioração gradativa dos serviços públicos. Governadores passaram a ser gestores de folha de pagamento. O presidente Bolsonaro quer uma reforma com justica social. É importante que essa rede de proteção social seja preservada. Quem tem menos contribui menos e quem tem mais contribui proporcionalmente mais. Nosso sistema é injusto e insustentável – afirmou. (O Globo)