Fraudes em sites de leilão seguem em alta e autoridades fecham o cerco contra estelionatários

23

Confira dicas para evitar cair em golpes e descobrir quais plataformas são seguras para a compra de itens em leilão

O aquecimento do mercado de leilões online na última década trouxe uma nova perspectiva para quem aposta nesse setor. Nele, é possível comprar itens de valor como smartphones, televisores, carros e até apartamentos por preços muito abaixo das tabelas de mercado. Até séries de TV, como Trato feito e Quem dá mais?, foram produzidas para falar sobre a prática.

No entanto, o aumento exponencial das fraudes – em especial com a criação de sites de leilão falsos e esquemas de desvio de dinheiro – faz com que a reticência dos compradores seja cada vez maior. Entre 2018 e 2019, 300 sites de estelionatários foram denunciados pelo Sindicato do Leiloeiros do Estado de São Paulo (Sindleiloeiro). Os casos são tantos que a Associação da Leiloaria Oficial do Brasil (Aleibras) chegou a criar uma espécie de lista negra para consulta dos usuários.

No início do ano, a Receita Federal desencadeou a Operação Último Lance para investigar a criação de dezenas de empresas de fachada, controladas por “laranjas”, para ocultar movimentações de dinheiro robustas, sendo que grande parte das empresas estava relacionada ao leilão de mercadorias. De acordo com o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), as movimentações suspeitas ultrapassam o valor de R$ 600 milhões.

A Receita Federal, inclusive, está fechando o cerco contra os estelionatários e destaca que, no caso dos leilões online, uma das formas de se proteger é certificando-se da veracidade da plataforma e do leiloeiro. No Rio Grande do Sul, outra investigação das autoridades mira um esquema falso de leilão de carros pela internet. Os vencedores, como de praxe em fraudes como essa, arremataram veículos por valores muito menores, mas nunca os receberam.

Geralmente, esses golpes virtuais atingem consumidores que se vêem atraídos por ofertas tentadoras, mas que na verdade escondem golpes e fraudes contra o consumidor. Assim, na ânsia de adquirir algo em “melhores condições”, principalmente no que diz respeito a preços muito abaixo do normal, o usuário acaba deixando de lado a checagem de detalhes básicos de segurança.

Para evitar cair nesses golpes e proteger o patrimônio, se faz cada vez mais importante consultar na internet sobre a reputação dos sites de leilões online, para conhecer antes de tentar arrematar produtos.

Dicas para evitar fraudes

A busca por sites de leilão, apesar de ser uma bela oportunidade para adquirir produtos muito mais baratos, pode se tornar um pesadelo se o comprador for iludido por estelionatários. Por isso, é importante tomar algumas precauções importantes antes de entrar nesse mundo.

  • Faça uma busca rápida pelo nome do site e verifique se há reportagens sobre o tema ou mesmo menções nas redes sociais e no Reclame Aqui, o site mais utilizado pelo consumidor brasileiro para realizar uma reclamação quando se está insatisfeito com uma determinada empresa na compra de um produto. Totalmente gratuito, o Reclame Aqui ainda abre espaço para que as próprias empresas possam retornar os clientes com um posicionamento;
  • Observe sempre o conteúdo e o domínio do portal onde quer se registrar. No Brasil, os sites de leilões oficiais são sempre registrados com a URL “.com.br“. O engano, às vezes, leva o comprador a acessar sites falsos hospedados com variações similares como “.com”, “.com/br”, entre outros, um detalhe que certamente pode mudar sua experiência e evitar, logo de cara, que você seja enganado;
  • Verifique possíveis erros de português, fotomontagens e outras características suspeitas do site, como o redirecionamento a outros portais, excesso de propagandas pop-up ou até a solicitação de dados como o código de segurança do cartão de crédito;
  • Não pague boletos cadastrados com CNPJ diferente do que a empresa divulga, e nunca pague nenhum boleto que esteja em nome de pessoa física, ou que não seja em nome da empresa;
  • Para certificar os canais oficiais e combater os sites falsos, a ALEIBRAS (Associação da Leiloaria Oficial do Brasil) criou o Selo Leilão Seguro, disponível somente para empresas idôneas;
  • Confira o registro do site de leilão online. Para intermediar a venda de bens, é necessário registro junto à Receita Federal, sendo possível a verificação na Junta Comercial a respeito da idoneidade e aptidão para exercer a atividade;

....