Hospital abre protocolo de morte encefálica de bebê espancado pela babá em Feira de Santana

56063-3O Hospital Estadual da Criança (HEC) iniciou na última quinta-feira (3), a abertura de Protocolo de Morte Encefálica do bebê de um ano e um mês, Maria Luiza, que segundo acusações da mãe, foi espancada pela babá.

Segundo a assessoria do hospital, a criança foi admitida na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTI PED) em coma arreativo e arreceptivo. Ela respira com ajuda de aparelhos e o quadro neurológico continua inalterado.

A pequena Maria Luiza foi levada desacordada e em estado gravíssimo para o HEC, no dia 29 de março deste ano. A babá Geane Oliveira Santos, se apresentou na manhã de terça-feira (1) no Complexo Policial Investigador Bandeira, acompanhada do advogado Bender Nascimento.

De acordo com a delegada, Letícia Carla Alaor, o depoimento durou mais de uma hora. A acusada não negou a prática de agressões físicas ao bebê, no entanto, não assumiu que teria espancado a vítima a ponto de gerar algum tipo de lesão na cabeça dela. “Ela admitiu prática de agressões físicas como beliscões e tapas. Porém, eu tenho que analisar de acordo com exames periciais de corpo e delito, que nesse caso é primordial, para se entender a dinâmica do fato”, informou a delegada.

O advogado afirmou que houve a queda de uma cama box do casal e, naquele momento, o bebê se encontrava aos cuidados do pai e da acusada, que, de acordo com ela, acumulava as funções de babá e doméstica na residência.

Em depoimento, o pai da criança, Antônio Cerqueira, alegou que colocou a criança para dormir na cama box do casal e a protegeu com travesseiros ao redor, mas que 15 minutos depois a menina apareceu na sala, onde ele assistia televisão, e percebeu que ela tinha caído, porém não apresentava lesão e nem havia chorado. (Acorda Cidade)