Monte Santo: Curso faz jovens refletirem sobre espiritualidade e transformação social

050Entre os dias 4 e 6 de março, 53 jovens estudantes da Escola Família Agrícola de Monte Santo e membros de comunidades de fundo de pasto, assentamentos, comunidades impactadas pela mineração, PJMP, PJR e coletivos de jovens, participaram da primeira etapa da quarta turma do curso Liderar, promovido pela Comissão Pastoral da Terra Centro Norte, Diocese de Bonfim, em parceria com a Escola Família Agrícola de Monte Santo (EFASE) e Movimentos Populares da região.

O curso está acontecendo em Monte Santo – BA, com perspectiva de iniciar uma turma também em Campo Formoso, no período de 01 a 03 de abril. É prevista a realização de seis etapas que devem acontecer durante o ano de 2016, nas duas regiões, abordando temáticas como: trabalho de base, história da Sociedade e do Brasil a partir dos movimentos sociais, questão agrária contemporânea e origem do latifúndio no Brasil, agroecologia e outras.

A primeira etapa do Liderar trabalhou a temática “Espiritualidade e Mística”, contando com a colaboração de Laurinda Julião (UNIFACS e Faculdade Dom Pedro II, Salvador-BA), que abordou conceitos de liderança, tipos de líderes, trabalhou na perspectiva do exercício da cidadania e a questão dos direitos humanos numa abordagem conceitual mas também numa reflexão que induz a uma prática da promoção, da defesa dos direitos humanos e do protagonismo juvenil.

Terra-Bem-vir---112“O jovem tem que se empoderar, se formar, se preparar para poder intervir na sociedade. Eu vejo o Liderar como uma esperança pras comunidades da região, que tem problemas sociais, como todas as comunidades do Brasil. Um curso como esse prepara o jovem para o empoderamento juvenil, que trabalha sob a perspectiva de cidadania, promovendo os direitos humanos. O que se destaca no Liderar é a metodologia, que além de fazer o jovem refletir sobre a sua realidade, também o(a) provoca a fazer uma intervenção na sua realidade sócio-política. Muitas vezes os jovens querem participar, eles entendem o que acontece na sociedade, mas podem não saber o que fazer , o Liderar prepara e dá subsídios para que eles façam essa intervenção e isso é muito importante”, afirmou Laurinda.

Outro elemento abordado foi a importância dos jovens terem um projeto de vida que contemple todas as dimensões. Nesta perspectiva, o sonho é fundamental na juventude que tem entusiasmo, energia e almeja realizar transformações sociais. Nos debates, os(as) jovens do Liderar, demonstraram que querem ser protagonistas de mudanças nas relações e nas estruturas da sociedade, ao mesmo tempo que desejam melhorar as próprias condições de vida, não são individualistas, sonham com a superação do machismo, das formas de discriminação, das violência, violações dos direitos e das desigualdades que estruturam a sociedade capitalista.

“São momentos como estes do Liderar que faz com que a juventude observe a sociedade atual e passe a desempenhar o seu papel perante a mesma. Nós somos jovens e precisamos fazer a nossa própria história. Fazer transformações no meio social. Eu sou jovem e sempre procuro fazer a diferença onde eu vivo”, disse Erica Amaral Oliveira do Assentamento Morada Nova, na cidade de Cansanção (BA).

Terezinha Foppa e Edinaldo Gonçalves (CPT Ruy Centro Norte-Diocese de Ruy Barbosa), também colaboraram com a assessoria do encontro, trabalhando a temática espiritualidade e mística. “Algo importante dentro da reflexão que fizemos foi mostrar que a espiritualidade não é só cristã, não tem ligação com a instituição religiosa, a espiritualidade é também a forma como muitas pessoas doam a sua vida defendendo um projeto de sociedade que é para todos”, destacou Terezinha.

A perspectiva da formação sobre espiritualidade é despertar na juventude um modo de viver em sociedade, em que valores como a liberdade, os direitos, a justiça e a honestidade, estejam em primeiro lugar. Além de contribuir na percepção de que modo a juventude pode viver esses valores, numa sociedade que caminha na contramão.

Como proposta concreta, depois de identificar problemas nas suas respectivas comunidades, o grupo se comprometeu de executar processos de intervenção que visam a mediação ou a resolução dos problemas.

CPT Centro Norte/Diocese de Bonfim-BA