Polícia Militar erradica 37 mil pés de maconha em Curaçá

17Por volta das 8 horas desta sexta-feira (13), na ilha da Cachoeira, próximo ao povoado de Árvore de Cima, em Curaçá, município situado na região Norte da Bahia, integrantes da 45ª Companhia Independente da Polícia Militar, com o apoio da 2ª CIPM do Estado de Pernambuco, localizaram três roças de maconha, cultivadas numa área de nove, sete e cinco hectares, totalizando mais de 37 milpés da erva, incinerados no local.

A Operação Divisa foi iniciada na véspera (12), quando a polícia foi informada de um transporte de drogas em Árvore de Cima e confirmada a denúncia com a apreensão de 5,7 kg de maconha acondicionada em três sacos, localizados às margens do rio São Francisco naquela localidade. A partir desta apreensão, presumiu-se a possibilidade da existência de plantio nas ilhas próximas.

Ninguém chegou a ser preso, mas uma amostra do plantio e os sacos com a droga pronta para o consumo foram apresentados na Delegacia Territorial de Curaçá, para registro da ocorrência e procedimentos de polícia judiciária, como realização de investigações e instauração de inquérito.

Estrada do Coco

Dez quilos de maconha prensada, distribuídos em dez tabletes, foram apreendidos com os traficantes paulistas Robson Oliveira da Silva, 26 anos, e Edebson Alves de Medeiros, 32, na quinta-feira (12), por equipes das polícias Civil e Militar, em Monte Gordo. Eles estavam a bordo de um táxi transportando a droga, acondicionada num saco plástico dentro de uma mala, da cidade de Entre Rios para Barra do Jacuípe, no Litoral Norte.

As equipes da 33ª Delegacia Territorial (Monte Gordo) e da 59º Companhia Independente da Polícia Militar faziam abordagens de rotina a veículos, na Estrada do Coco, quando pediram ao taxista que parasse no acostamento. Muito nervosos, os passageiros se recusaram a mostrar o conteúdo da bagagem no porta-malas e foram conduzidos à unidade policial, onde confessaram ser traficantes.

Interrogados pela delegada Juceli Rodrigues, Robson e Edebson  disseram ter viajado de ônibus com a droga de São Paulo até  Inhambupe, na Bahia, onde alugaram um automóvel e foram para Entre Rios. Lá, contrataram um táxi, por R$ 200, para levá-los até Barra de Jacuipe. Não revelaram, entretanto, para quem a droga seria entregue.

Autuados em flagrante por tráfico, foram conduzidos à carceragem da Delegacia Territorial de Vila de Abrantes, onde permanecerão custodiados, à disposição da Justiça. O taxista foi ouvido e liberado e a droga seguiu para exames periciais no Departamento de Polícia Técnica (DPT), em Salvador.